quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Consórcio de Aécio Neves colocou ex-presidente da Alstom na LIGTH


A CEMIG de Aécio Neves detém 25% do consórcio privado que comanda a Light (empresa  de distribuição de energia elétrica do Rio de Janeiro, responsável por atender bairros que tem sofrido apagões).


O consórcio é encabeçado por mestres do universo da privatização: Bancos de Investimentos como o Pactual, Luce do Brasil, e Andrade Gutierrez Concessões.



Este Consórcio de Aécio colocou na presidência da empresa José Luiz Alquéres. É ninguém menos do que o presidente da Alstom no Brasil, entre 1998 e 2006, período em que a multinacional é investigada por suposto pagamento de US$ 6,8 milhões em propina para políticos do PSDB para vencer licitações de US$ 45 milhões do metrô de São Paulo.



Nada pesa até o momento contra ele... No comando da Alstom, Alquéres não perdeu uma licitação, atraindo a atenção e a inveja dos concorrentes, que diziam que o ponto forte da Alstom era o “fator político”. Conseguiu contratos para construir as turbinas de Itaipu e Tucuruí, as termoelétricas do Rio, Paraná, Bahia e São Paulo. Colocou o País entre os cinco mais importantes da Alstom francesa, com crescimento de 40% ao ano. Em 2006, ele acertou sua saída. Foi para a Light com a promessa de não se desligar totalmente da empresa francesa. [Revista IstoÉ Dinheiro]


Esse assunto da Alstom está nas mãos do Ministério Público, e temos que aguardar por novidades.

http://blogdeumsem-mdia.blogspot.com.br/2009/11/privataria-ex-presidente-da-alstom.html
QUEM SÃO OS SÓCIOS DE AÉCIO NA LIGHT
Luce Brasil é um fundo de investimento do banqueiro Aldo Floris. Foi um dos donos do Banco Liberal, vendido para o Bank of America, em transação que acabou em processo na justiça de Nova York por desvio de dinheiro e superfaturamento, em caso semelhante ao do Citibank contra Daniel Dantas.

O Banco Liberal também apareceu nas movimentações financeiras do escândalo dos precatórios de Maluf e Celso Pitta.

O Banco Pactual (BTG-Pactual) foi vendido para o UBS Suíço, na mesma época, em maio de 2006. Recentemente foi recomprado por quem vendeu, André Esteves. Entre os sócios de André Esteves estão Pérsio Árida, ex-presidente do BNDES na época das privatizações de FHC, e ex-sócio de Daniel Dantas no Banco Opportunity.

Como o mercado de investimentos especulativos só dá dinheiro quando a roda gira, e é sempre preciso estar comprando e vendendo alguma coisa, já rola a conversa da CEMIG comprar a participação acionária do Pactual na LIGHT.

Ora, se a CEMIG quisesse comprar uma parte maior da LIGHT por que não o fez em 2006, em vez de associar-se à estes banqueiros privados?
http://tucanoalstom.blogspot.com.br/2008_07_01_archive.html

Nenhum comentário: