quinta-feira, 5 de maio de 2022

Militares brasileiros na ditadura em 1972, recebe o Nazista Von Braun no Brasil na Embraer, no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais): impediu seu desenvolvimento.

De genocida nazista a chefe da NASA, surge o filho Elon, que ele mencionou em 1953 narrado em um dos seus livros e que povoaria Marte. : Wernher von Braun. Seu passado foi secreto, até a abertura dos arquivos secretos dos Estados Unidos. - Em 1933, juntou-se ao Partido comandado por Hitler. Sua promoção a Comandante se deu quando se subordinou ao mando pessoal do chefe da organização das SS, Heinrich Himmler, o segundo homem mais poderoso da Alemanha Nazista. Os foguetes projetados, secretos, com tecnologia alienígena, eram construídos na fábrica Mittelwerk por pessoal escravo, vindo do campo de concentração de Dachau e Dara, escolhidos a dedo pelo comandante. Sob as ordens diretas de von Braun, pelo menos 30.000 judeus e russos foram mortos na fábrica de Mittlewerk. - Elon Musk agora revelado filho, já disse que pretende acabar com a Rússia. (sangue nazista?) Elon Musk nasceu em 1971 - Von Braun faleceu em 16 de junho de 1977 [1]


E assim, foi-se embora a nossa Embraer, deu-se o fim do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a frustação dos jovens brasileiros. E assim, Elon Musk (O Elon mencionado por Von Braun em 1953), tornou-se o único, o mais rico, o imbatível, e agora, o nazista temível!

- Em 07/11/1972 durante a ditadura militar, Joelmir Campos de Araripe Macedo, militar brasileiro no posto de tenente brigadeiro (quatro estrelas) da aeronáutica. Ministério da Aeronáutica nos governos Emilio Garrastazu Médici, recebeu no Brasil com honras militares, o nazista von Braun assessor de Himmler o cara mais poderoso depois de Hitler. Araripe Macedo foi também Ministro de Geisel tratavam-se por você, eram amigos desde a escola. - O documento oficial que reúne toda a investigação do acidente que vitimou, entre outros, o ex-presidente militar Castello Branco que veio a óbito, produzido pelo CENIPA, foi assinado pelo tenente-brigadeiro Araripe Macedo. Esta investigação oficial é criticada por falhas e sua desconcertante superficialidade. Esse militar, foi diretor da fábrica de aviões do Galeão, diretor técnico e diretor presidente da Fábrica Nacional de Motores (FNM), membro do Conselho Nacional do Petróleo, diretor de Engenharia Aeronáutica e diretor de Rotas Aéreas do Ministério da Aeronáutica. (Hoje, o Brasil é ZERO em pesquisas espaciais)
- Pergunto:
Recebido no Brasil pelo militar Joelmir Campos de Araripe Macedo, sob o manto da ditadura militar de Medici e Geisel, o que veio fazer no Brasil na fábrica de motores e aviões Embraer em S.José dos Campos - SP, e no INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o ex-nazista de Hitler, engenheiro Wernher von Braun, que serviu Heinrich Luitpold Himmler em seus inventos espaciais, após "o fim" da segunda guerra mudou de lado para nos EUA e a Naza, e continuou desenvolvendo seus projetos até então nazistas em satélites, sem cortar relações secretas com a União soviética. Dizendo não estar no Brasil em missão oficial do governo americano e tão pouco da Naza, ficou no Brasil por 5 dias, sempre acompanhado pelos militares e seus capachos confiáveis.

Assim, o sonho e os planos do Brasil em pesquisas aero-espaciais acabou.
  • Cheguei sozinho no Canadá em 1989 com CA$2500 [dólares canadenses]. Paguei minha própria faculdade, terminando com U$100 mil em dívida estudantil. Comecei a 1ª empresa sem financiamento e apenas um computador que construí. Não há nenhuma evidência de uma mina de esmeralda”, explicou em Tweet, Elio Musk [5]
Elon Musk,(que pegou o nome Testa), aparentemente saiu da cerca e está agora a apoiar abertamente os chapéus brancos. Isso é significativo porque Musk é o filho de um proeminente cientista nazi Verner von Brau, de acordo com a inteligência japonesa e confirmado por fontes da força espacial americana.
Em 30 de dezembro, o bilionário e executivo-chefe da SpaceX , Musk, citou uma frase popular do filme Young Frankenstein no Twitter . Ele twittou: “Destino, destino. Não há como escapar disso para mim.” o cientista de foguetes de Adolf Hitler, Wernher von Braun, em seu livro de 1953 "Mars Project", mencionou uma pessoa chamada Elon que levaria humanos a Marte [4].

NOTAS:

1. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/mundo/68947/de-genocida-nazista-a-chefe-da-nasa-conheca-o-heroi-estadunidense-wernher-von-braun


https://brazilianspace.blogspot.com/2011/07/von-brau-no-brasil.html?fbclid=IwAR3aoJdgxPV35vsWCU-sH8OJU_b_0UrnoulOWoA_2-zZFyHv6Pw-N18WsuY

4. Benjamin Fulford de 2 de maio de 2022  - 

5. Elon nega a história completamente, a classificando como “inteiramente falsa” e acrescentando que nenhum familiar administrou alguma mina de esmeraldas. Em março de 2021, ele se pronunciou através de sua conta no Twitter.     https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/familia-de-elon-musk-tinha-uma-mina-de-esmeraldas-ligada-ao-apartheid-entenda.phtml
 

quarta-feira, 27 de abril de 2022

"O nazifascismo bolsonarista sequestrou o Brasil. Nós queremos o Brasil de volta!"

O partido de Hitler no Brasil chegou a ser o maior Partido Nazista fora da Alemanha! 

Foi fundado em Santa Catarina, na cidade de Timbó, em julho de 1928, sendo o primeiro Partido Nazista a ser reconhecido pelas lideranças do partido em Munique, que já haviam realizado a fracassada tentativa de golpe de estado de 1925.[12]

O recente surto de crimes de apologia ao nazifascismo por parte do governo Bolsonaro e seguidores, a existência de células neonazistas, o crescimento do discurso de ódio e da intolerância através do “comitê do ódio do Planalto”, o crescimento de milícias armadas com participação de policiais e até mesmo de militares, o massacre de negros e pobres de periferias, todos estes fatos têm uma relação direta com a existência e as práticas que antecederam o surgimento do Nazismo Alemão e até mesmo dos Partidos Nazista e Fascistas no Brasil do século passado e nos anos pós-ditadura militar de 1964.
Jair Bolsonaro recebeu a parlamentar alemã Beatrix von Storch, do partido de ultradireita Alternativa para a Alemanha (AfD) neta do ministro das Finanças de Hitler. 
Bolsonaro recria imagem do fascista Mussolini em passeio de moto
Terceira etapa do nazifascismo no Brasil não vai ser derrotada somente nas urnas. País se tornou um dos polos mais importantes no mundo na disseminação da ideologia, que aqui se alia ao racismo estrutural de nossas elites

A existência pouco conhecida da sociedade, do Partido Nazista NSDAP e do fascismo no Brasil
O país já teve legendas de extrema direita que reuniram milhares de militantes. 


Desfile nazista em Porto Alegre no Dia do Trabalho de 1937.
(Como podemos afirmar que o nazismo encerrou no Brasil em 1937 sob as 'ordens' do militar e ditador Getúlio Vargas?; Quem enviou nazistas brasileiros para a Ucrânia a lutar contra a Rússia?; Quem são esses nazistas radicados no Brasil?; aonde estão alocados esses nazistas 'brasileiros'?.)
suástica, símbolo nazista, em piscina de SC
(Foto: )[13]


Nas décadas de 1920 e 1930 milhares de alemães imigraram para o Brasil, sobretudo movidos pelos problemas socioeconômicos enfrentados pela Alemanha de Weimar e a recessão em que ela mergulhou após a Primeira Guerra Mundial. Essa nova onda de imigração alemã viria a formar os primeiros grupos nazistas no Brasil. Essa organização funcionou no Brasil de 1928 a 1938, sem ser incomodada pelo governo brasileiro, então liderado por Getúlio Vargas.]2] Nesse último ano, após a implantação da ditadura do Estado Novo, o partido nazista e todas as outras agremiações políticas estrangeiras foram colocadas na ilegalidade.
O partido nazista chegou ao poder na Alemanha em 1933, quando Hitler assumiu a Chancelaria. Entre 1933 e 1938, diversas organizações nazistas agiram no Sul do Brasil, procurando atrair a população teuto-brasileira para o nazismo. Esta tarefa era considerada fácil, uma vez que os descendentes de imigrantes alemães estabelecidos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná formavam uma minoria étnica, rotulada de “teuto-brasileira”, e identificada com a noção de Deutschtum (germanidade): preservação da língua, raça e cultura alemãs. na concepção de Lebensraum conjugado com a de Volksgemeinschaft é o Reich dos cem milhões de alemães espalhados pelo mundo. Esse propósito exige a unidade de todos os Auslandsdeutschen (alemães no estrangeiro), e nesta categoria são incluídos os teuto-brasileiros: sua pátria é a Alemanha e o Brasil apenas a sua Gastland (terra de hospedagem). As atividades nazistas no Brasil foram coordenadas pela embaixada alemã no Rio de Janeiro e pelos consulados, especialmente os de Porto Alegre, Curitiba e São Paulo. Os agentes do partido tiveram à sua disposição diversos organismos e associações criados pelo NSDAP, que permitiram uma propaganda intensa e a infiltração de pessoas nas principais sociedades recreativas e culturais e nas escolas teuto-brasileiras. Nas cidades maiores, foram estabelecidos diretórios do partido (chamados Ortsgruppe — grupos locais) para coordenar a propaganda, que se fez em três níveis: a) diretamente, através dos diretórios, das associações patrocinadas pelo governo alemão, e das instituições teuto-brasileiras sob controle nazista. O almanaque Volkund Heimat, editado em São Paulo de 1936 a 1938, e jornal Blumenauer Zeitung, editado em Blumenau entre 1886 e 1939, são dois bons exemplos. Com o estabelecimento do Estado Novo, mudou o comportamento do governo brasileiro em relação à ação nazista no Sul, até então tolerada: agora ela era vista como um perigo à estabilidade política do país. Uma série de medidas de caráter geral, tomadas no âmbito da campanha de nacionalização, e visando principalmente ao nazismo, aniquilaram as bases que suportavam a atividade política do NSDAP.

Em 1937 foram tomadas as primeiras providências para extinguir as escolas “alemãs”. O Decreto-Lei nº 383, de 19 de abril de 1938, proibiu a atividade política de estrangeiros no Brasil. A língua alemã foi proibida em 1939 e, em 1941, foi extinta a imprensa teuto-brasileira. Sem a infra-estrutura associativa e de propaganda que fora montada nos três estados meridionais, o nazismo não poderia sobreviver.
A documentação diplomática alemã sobre este período é riquíssima. No entanto, engana-se quem imagina que toda documentação foi tornada pública entre 1946 e 1947 pelo Departamento de Estado em Washington, pelo Foreign Office em Londres e pelo governo francês. Estes órgãos governamentais iniciaram um projeto de publicação conjunta dos arquivos capturados da Alemanha Nazista, da qual originou-se a obra norte-americana “Documents on German Foreign Policy 1918-1945”. Deste trabalho foramtraduzidos para o português os documentos referentes ao Brasil e ao III Reich, sendo o livro intitulado O III Reich e o Brasil. O trabalho realizado pelos órgãos governamentais dos países aliados foi pioneiro, no entanto constatou-se que este tipo de publicação apresenta apenas uma pequena parte da documentação diplomática sobre as relações entre Brasil e Alemanha nas décadas de 1930 e 1940. Esta documentação não possibilita a análise da posição diplomática alemã no decorrer dos acontecimentos, por isto tornou fundamental a pesquisa no Arquivo do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha (Politischen Archiv des Auswärtigen Amts –PAAA). [3,4].
A nova Constituição de 1937 tinha vários artigos que seguiam estes ideais nazistas. Observa-se que a correspondência da embaixada alemã no Brasil com o Ministério de Relações Exteriores da Alemanha (Auswärtiges Amt - AA), desde 1936, abordava de diversas formas as questões do integralismo, por vezes relatando que descendentes de alemães participavam do partido em Santa Catarina[5] O governo brasileiro tinha interesse estratégico na relação com a Alemanha, e por isto não interferiu na ação no partido nazista no Brasil, em anos anteriores[6]
O decreto-lei nº 383 de 18 de abril de 1938, proibiu aos estrangeiros exercerem atividades de natureza política e de interferirem nos negócios públicos do país (art. 1). No entanto, permitiram-se associações de caráter cultural, beneficentes e assistencialistas, "sem auxílio estrangeiro" e com reuniões autorizadas (art. 3). [7]
Na Alemanha restariam duas atitudes a serem tomadas, que a imprensa alemã fizesse uma campanha mais ofensiva contra o Brasil e que o embaixador brasileiro em Berlim fosse tratado com frieza. Neste documento, reafirmou a informação de que o partido seria proibido em todo o continente, questionando quando isto poderia ter sido acertado entre as nações americanas. Isto é, intervinha em prol dos interesses dos cidadãos alemães com residência no Brasil. O é importante o cuidado ao afirmar que a Campanha de Nacionalização foi o desencadeador dos conflitos diplomáticos entre Alemanha e Brasil durante o ano de 1938. Isto porque esta afirmação não é de todo verdadeira, pois as divergências diplomáticas foram causadas pelas ações que atingiram a liberdade dos cidadãos alemães (Reichsdeutsche), neste momento, a proibição do NSDAP à circular livre pelo país.

Litoral catarinense era estratégico para nazistas

https://www.youtube.com/watch?v=8SfrKL2vy0g

FONTES:
1.DULLES, J. Vargas; LOEWENSTEIN, K. Brazil; PY, A. Quinta; SEYFERTH, G. Nacionalismo.
2. "E quando pôde, manteve relações cordiais com a Alemanha nazista, polarizando forças e jogando duplamente com os EUA (...)"
3. ORLANDI, Eni. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 6ª ed. Campinas: Pontes, 2005. 4. A versão alemã recebeu o título: “Akten zur Deutschen Auswärtigen Politik 1918-1945“.
5. R-104945 do PAAA, carta de 4 de novembro de 1937, do Rio de Janeiro ao AA.
6. DIETRICH, Ana Maria. Nazismo tropical? O partido nazista no Brasil. Tese (Doutorado em História), USP, São Paulo, 2007.
7. Embaixada do Brasil na Alemanha. Ofício nº 167. Confidencial. Correspondência: Nazismo no Brasil, (1934-1941). Arquivo Histórico do Itamaraty, Rio de Janeiro, 4 de abril de 1938.
8. ORLANDI, Eni. Análise do discurso: princípios e procedimentos. 6. ed. Campinas: Pontes, 2005 9. O III Reich e o Brasil. 2 vols. Rio de Janeiro: Laudes, 1968 10. SEITENFUS, Ricardo Antônio Silva. O Brasil vai a Guerra. 3. ed. Baueri: Manole, 2003. 11. VARGAS, Getúlio Dorneles. Getulio Vargas: Diário. São Paulo: Siciliano/FGV, 2 v, 1995.
12. https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/brasil/73218/terceira-etapa-do-nazifascismo-no-brasil-nao-vai-ser-derrotada-somente-nas-urnas
13. https://www.nsctotal.com.br/noticias/saiba-quem-e-o-dono-da-piscina-com-a-suastica-no-fundo-em-pomerode

terça-feira, 26 de abril de 2022

Coronel Militar, Queiroz, Flávio Bolsonaro e Casa da Moeda do Brasil

PHA então vivo, questionou: quem do exército, que controla as admissões e demissões de funcionários, médicos, cientistasm por "concurso" para integrar a  Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação? Eu, fiquei a pensar, pensar,...

O coronel da reserva do Exército indicado assessor da presidência da Casa da Moeda do Brasil pelos generais do governo Bolsonaro cultiva há duas décadas uma relação de confiança mútua com Fabrício Queiroz. Ele mesmo, o acusado de operar o esquema milionário das rachadinhas do filho 01, o senador Flávio Bolsonaro, do PL do Rio.

Currículo WASHINGTON LUIZ LIMA TEIXEIRA FORMAÇÃO ACADÊMICA

Curso de Intendência/Logística Militar da Academia Militar das Agulhas Negras - AMAN - Resende – RJ – Coronel R1 do Exército - Conclusão: (07/12/1985); Mestrado em Operações Militares pela Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais - ESAO - Rio de Janeiro - RJ (1992/1993); Bacharelato em Direito pela Universidade Federal do Pará - Belém – PA - Conclusão: (07/01/1999); Gestão e Assessoramento de Estado-Maior - CGAEM (1ª Fase) pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército – RJ - Conclusão: (2007); Pós-graduação em Gestão na Administração Pública pela Universidade Castelo Branco - Rio de Janeiro - RJ (10/03/2008 a 31/03/2009) – 360 horas/aula Pós-graduação em Direito na Administração Pública pela Universidade Castelo Branco - Rio de Janeiro - RJ (10/04/2009 a 31/03/2010) – 360 horas /aula, e MBA em Administração Hospitalar pela Universidade Anhanguera Uniderp – São Paulo – SP (22/01/2020 a 22/07/2020) - 400 horas /aula.

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL MILITAR E CIVIL: 

25º Batalhão Logístico (Es) - Rio - RJ Função: Comandante do Pelotão de Transportes e Aprovisionador. Período: de 01/1986 a 11/1987. 

Academia Militar das Agulhas Negras - AMAN - Resende - RJ Função: Instrutor de Cadetes do Curso de Intendência da AMAN. Período: de 12/1987 a 12/1989. 

Hospital da Guarnição de Porto Velho - Porto Velho - RO Função: Encarregado do Setor Financeiro. Período: de 01/1990 a 01/1992. 

Escola de Material Bélico - Rio - RJ Função: Encarregado do Setor Financeiro e Instrutor da matéria Administração de Materiais do Curso de Aperfeiçoamento de Sargentos. Período: de 02/1992 a 12/1993. 

8º Depósito de Suprimento – Belém - PA Função: Comandante da 1ª Companhia de Suprimentos e Membro da Comissão de Licitações da 8ª Região Militar. Período: de 02/1994 a 12/1997. 

Colégio Militar do Rio de Janeiro - Rio - RJ Função: Chefe do Setor de Aquisições (Licitações e Contratos) e Assessor Jurídico do Comando do Colégio. Período: de 01/1998 a 12/2001. 

Escola de Comando e Estado-Maior do Exército - Rio - RJ Função: Fiscal Administrativo e Ordenador de Despesas substituto Período: de 03/2005 a 11/2007. 

Hospital Central do Exército - Rio - RJ Função: Ordenador de Despesas e Chefe da Divisão Administrativa Período: de 11/2007 a 05/2009. 

Base de Apoio Logístico do Exército - Rio - RJ Função: Chefe da Divisão Jurídica e Ordenador de Despesas Substituto Período: de 06/2009 a 01/2011. 

Hospital Militar de Área de Recife - Recife - PE Função: Ordenador de Despesas Período: de 02/2012 a 06/ 2013. 

Hospital das Forças Armadas - Brasília- DF Função: Ordenador de Despesas Período: de 07/2013 a 12/2014. 

Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI-PR) - Brasília - DF Função: Assessor Militar Administrativo na Agência Brasileira de Inteligência Período: de 01/2002 a 01/2005. 

União de Ensino Superior Paulo Martins (UNIPAM) – Brasília - DF Função: Professor das matérias Direito Administrativo e Direito Tributário Período: de 01/03/2003 a 16/02/2005. 

Instituto de Ensino Superior de Brasília (IESB) - Brasília - DF Função: Professor da matéria Instituições de Direito Público e Privado Período: de 01/08/2003 a 01/06/2005. 

Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) - Juiz de fora - MG Função: Pró-Reitor Adjunto de Planejamento, Orçamento e Gestão Período: 04/05 meses 2015. 

CCM Indústria e Comércio de Produtos Descartáveis Ltda Função: Consultor de Negócios Públicos (Licitações/Contratações Públicas) Período: 10/2017 a 08/2018. 

Ministério do Desenvolvimento Regional - Brasília - DF Função: Coordenador Geral de Suporte Logístico (Licitações e Contratos/ Apoio Logístico/Administrativo do Ministério) Período: de 08/ 2018 a 01/2019. 

Secretaria Geral da Presidência da República - Brasília - DF Função: Consultor no Grupo de Trabalho do Projeto para melhoria da gestão dos Hospitais Federais do Rio de Janeiro (Processos Administrativos/ Licitações e Contratações Públicas) Período: de 02/ 2019 a 07/2019. 

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo- SP Função: Gerente do Departamento de Administração (Logística de materiais, Apoio Administrativo e Licitações/Contratos) Período: de 10/07/2019 até 19/10/2020. 

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo - SP Função: Assessor da Presidência do CREA-SP para atuar junto ao Tribunal de Contas da União – TCU em processos de interesse do Conselho. Período: de 20/10/2020 até 23/11/2020. 

Casa da Moeda do Brasil – Rio de Janeiro – RJ Função: Assessor da Presidência da CMB Período: 25/11/2020 (função atual).

Durante a carreira como oficial da ativa, o coronel Teixeira ocupou cargos no Exército e do Ministério da Defesa em que detinha poder de decisão em processos de licitação, contratos e ordenamento de despesas. Num deles, respondeu a processo criminal em que foi acusado de participar de um esquema de emissão de notas frias para a aquisição de medicamentos e equipamentos para o hospital militar do Recife. Foi inocentado.

As acusações contra o coronel estão detalhadas em uma auditoria militar. Foram identificados os crimes de estelionato, corrupção passiva, corrupção ativa, falsificação de documentos que causaram prejuízos de R$ 4 milhões aos cofres públicos. A Justiça Militar apurou denúncia contra 18 pessoas. Teixeira foi absolvido, mas outras dez pessoas, entre civis e militares, foram condenadas à prisão pelo Superior Tribunal Militar. As penas variaram de quatro a seis anos de prisão.

Washington Teixeira é da turma de 1985 da Academia Militar das Agulhas Negras, a Aman, responsável por formar todos os oficiais do Exército brasileiro. O currículo dele, disponível no site da Casa da Moeda, indica que ele se especializou em trabalhar em hospitais da força.

Na Aman, Teixeira escolheu a arma da intendência – a mesma de de um general famoso, Eduardo Pazuello, de quem foi contemporâneo na academia. No Exército, o pessoal da intendência é responsável por administrar a rotina e a burocracia do funcionamento dos quartéis. Mesmo em situação de combate, cabe à intendência cuidar de fazer chegar água, comida e suprimentos a quem está na linha de frente. Por tudo isso, os oficiais da intendência são tidos como os “civis” entre os militares – o que, no meio, é tudo menos um elogio. Eles também não podem, se chegarem a generais, ganhar a quarta estrela – o topo da carreira para quem é da intendência é ser general de três estrelas.

A carreira de Teixeira foi a típica para um oficial da intendência. Ele passou a maior parte do tempo no serviço ativo em cargos de controle de contas, ordenamento de despesas e realização de licitações de órgãos do Exército e hospitais militares.

A experiência com processos de compras e a rede de amigos que estabeleceu na caserna levaram Teixeira a participar do governo Bolsonaro. Em fevereiro de 2019, uma das prioridades do recém-iniciado mandato era organizar a burocracia, os processos licitatórios e os trâmites internos dos seis hospitais federais do Rio de Janeiro.

Esse projeto foi comandado inicialmente pelo coordenador da campanha de Bolsonaro e ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, morto em março de 2020. Ele esteve à frente das Ações Integradas e denunciou que milicianos comandavam o hospital federal de Bonsucesso. Poucas semanas depois da denúncia, Bebianno saiu do governo rompido com Bolsonaro e o filho 02, o vereador Carlos.

A CPI da Pandemia do Senado levantou a suspeita de que a gestão dos hospitais federais do Rio estaria sob influência direta do senador Flávio Bolsonaro. Ele sempre negou.

Teixeira e outros seis colegas coronéis do Exército foram levados ao grupo de coordenação após a queda de Bebianno pelas mãos do general Floriano Peixoto, que assumiu a vaga de ministro. Atualmente, Peixoto preside os Correios.

https://theintercept.com/2022/04/25/coronel-exercito-empresta-conta-bancaria-fabricio-queiroz-rachadinhas/?fbclid=IwAR0h1MMWfI4gyAdND1sa-3Vv1DvdAN-YeB7LsQx-wng2vtuCnb-VoINpTC4

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Locais Misteriosos e Místicos no Brasil


Serra do Aracá indica estudo da geóloga Soraya Ayub para a organização Akakor Geographical Exploring De valioso, há a tantalita, minério raro utilizado pela indústria eletrônica. Antes de extraí-la, os garimpeiros queimam grandes áreas de vegetação. O fogo, no Aracá, não é apenas devastador: destrói o que a humanidade ainda não conhece.


 O lago do Curupira Situado no Planalto santareno


O Parque Nacional do Jaú é uma unidade de conservação federal de 2.272.000 hectares de área, localizada entre os municípios de Novo Airão e Barcelos, no Baixo Rio Negro, Amazonas.

pirâmides da floresta amazônica. Três formações geológicas piramidais cultuadas como monumentos pelos nativos. Serra do Gupira, no alto Rio Negro.
https://www.youtube.com/watch?v=pDebfXi0gB4&t=173s

suposta Pirâmide em Salto dos Macacos | Piramidal.net | lojapiramidal.com


 Serra de Curicuriari, também conhecida localmente como 'Serra da Bela Adormecida', está localizada entre os rios Curicuriari e Marié no município de São Gabriel da Cachoeira, na Terra Indígena do Médio Rio Negro.

Os militares brasileiros contribuíram com os nazistas
https://www.youtube.com/watch?v=a_8JRWgkYbo&t=1846s

Cidades conhecidas como Muribeca, Paititi, Eldorado (e principalmente as três cidades dos "deuses" chamadas Akhaim, Akhanis e Akhakor) talvez não tenham sido meramente lendas, mas, sim, tradições HISTÓRICAS passadas de geração em geração pelos ancestrais desses índios. 
,
1. https://barcelosamazonia.blogspot.com/2015/04/expedicao-serra-do-araca.html
2. https://revistaovni.wordpress.com/2016/06/05/piramides-na-amazonia-brasileira/
3.https://portalamazonia.com/amazonia/voce-acredita-que-existiram-piramides-na-amazonia
4. https://revistaovni.wordpress.com/2016/06/05/piramides-na-amazonia-brasileira/
5. Reserva extrativista do Rio do Cautário
6. Parque Nacional Serra da Cotia



domingo, 24 de abril de 2022

Brasil dividido, golpe de lá, com ajuda dos de cá? Que país se tornou esse?

Com desvios, corrupção, o transformar de mentalidades induzindo o povo ao erro, cleptocracia, estão preparando o teatro, afrontando o Supremo Tribunal Federal. Os militares conseguirão dar o golpe para que não aconteça as eleições? Por que, as motociatas organizadas por bolsonaristas militaristas e "contemplados" pelo governo federal com títulos de terra nos quatro cantos do Brasil? essa gente está adquirindo armas, os militares estão armados, os mercenários de lá, camuflados dentro da "floresta" amazônia legal estão armados, as FA fortalecidas com o viagra estão armados, o ministro general do STM discursando com erros de português, defende o induto inconstitucional emitido por Boolsonaro, enquanto a população desarmada está pobre, frágil, e não tem a quem recorrer frente a uma possível desobediência militar. O que fará o STF se isso ocorrer? mandará a PF prender o kaiser? a PF obedecerá frente a anarquia criada pelos militares? Por que, o Brasil ainda tem esses militares dividindo o Brasil, escondendo dos brasileiros sobre as riquezas brasileiras 'escondidas', desvalorizando o Real  lançando criptomoedas da Amazônia com lastro em "créditos de carbono",  colocando o povo brasileiro em perigo?

FFAA estão sendo "orientadas"? Por quem? O miliciano?
Barroso é um biltre corrupto que atua em parceria com os militares.
Cada palavra dele é sempre no sentido de "salvar a milicada". Loryel Rocha




quarta-feira, 20 de abril de 2022

A tortura ucraniana praticada pelos neonazistas de Zelensky nos fatos censurados pela mídia

 Herbert Dorsey: (passei para o Blog google, porque o facebook disse ser essa uma mensagem não confiável) dizendo: Você deve acessar apenas links em que confia.   O link que você tentou acessar não segue nossos Padrões da Comunidade: 

“Um traidor a menos”: Zelensky supervisiona campanha de assassinato, sequestro e tortura da oposição política