segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

"DESMORALIZAR PODERES:TÁTICAS E ESTRATÉGIAS DE DOMINAÇÃO“

...”Não posso fazer tudo, mas posso fazer alguma coisa. E por não poder fazer tudo, não me recusarei a fazer o pouco que posso”. (Edward Everett Hale, Clérico e Escritor norte-americano, 1823-1909).
As coisas andam estranhas, no Brasil.
Quando determinadas estranhezas ocorrem em Estados com a mínima chance de se desenvolverem autonomamente – a razão é porque colaboracionistas estão colaborando demais, em benefício de interesses não-nacionais.
Entre as táticas e estratégias de dominação está a de dividir para dominar. São diversificadas as formas de colaborar.
Entre as mais utilizadas está a desmoralização dos Poderes do país-alvo. Observa-se, a bola da vez é os Poderes do Brasil.

Toda a atenção é preciso porque intrigar os Poderes e convulsionar populações contra os políticos e suas politicagens são táticas e estratégias largamente utilizadas para dominar territórios ricos de minérios geradores de energia.
A História moderna é pródiga em exemplificar e pesquisar é mais do que preciso.
Daí resulta a importância de entender a percepção da população brasileira.
A população brasileira muito justificadamente não aceita continuar refém dos políticos corruptos ou ineptos de sempre. Urge alijá-los do Legislativo brasileiro.
A população brasileira desconhece a maioria dos Deputados e Senadores das Casas Legislativas brasileiras. A população brasileira faz terríveis ilações sobre as razões fundamentadoras das eleições de tais desconhecidos. Um deles, descuidando-se, demonstrou a que veio, com a proposta indecente da vez: desmonopolizar o urânio  que jaz no território do Brasil. Vale dizer, entregar, para não-residentes, o único mineral – esgotável - gerador de energia, que resta reservado para uso e gozo dos atuais mais de 200 milhões e das futuras gerações de residentes no Brasil.
A população brasileira perceptiva tem a vontade legítima de mandar para as respectivas residências, os políticos-politiqueiros, desavergonhadamente, fazendo da política nacional brasileira - o trampolim para alcançar voluptuosas necessidades pessoais.
A população brasileira percebe a inexplicável impunidade de determinados Deputados e Senadores como uma verdadeira afronta à cidadania e ao funcionamento das instituições brasileiras.
A população brasileira observa, ...”a trajetória política de alguns Deputados e Senadores mais parece uma folha corrida policial”. ...” A impunidade de alguns é imponderável, inaceitável e inacreditável.” (In NEWTON, Carlos, 23.10.2016, Tribuna da Internet).
Daí, porque, a população brasileira quer que se extinga - o mais rápido possível - o foro privilegiado.
O foro privilegiado precisa acabar, porque está sufocando as decisões da Primeira Instância. O foro privilegiado está parecendo verdadeiro tribunal de exceção, no qual se isenta de qualquer culpabilidade os amiguinhos preferenciais.
A população brasileira assistiu, ridicularizando muito, um deles, chegar a renunciar à Presidência da Mesa Diretora do Senado para evitar cassação – e logo depois conseguir voltar a ser Presidente da referida Casa, entrando de novo na linha sucessória da Presidência da República.
A população brasileira observa atentamente o modo como o Presidente do Senado protege acintosa e vergonhosamente notórios Deputados e Senadores corruptos. Vergonha é o sentimento da população brasileira por esse  demonstrativo de falência da política nacional brasileira.
A população brasileira atentamente observa quem paga para os políticos-politiqueiros continuarem travando o desenvolvimento do Brasil.
Deputados e Senadores desde sempre envolvidos com a corrupção têm que renunciar, já!
A renúncia se faz obrigatoriamente necessária, porque, como objetos de chacotas nacionais e internacionais - estão prestando um grande desserviço ao Brasil. De modo algum se admite que possam ter a pretensão de representar a população brasileira.
Os inquéritos e processos contra eles - colecionados pelo STF - estão prestes a prescrever. A população brasileira – contribuinte de fato e de direito, pagadora dos altos salários e mordomias de cada um deles - está atenta. Há que se impedir mais esta vergonha vergonhosa, tipicamente brasileira.
Nada passa despercebido da população brasileira. Os exemplos históricos recentes não recomendam a alienação.
A população brasileira não admite que seja aprovado o Projeto (Projeto de Emenda Constitucional/PEC) estabelecendo punições a autoridades policiais e judiciais que estejam exercendo, legitimamente e sem abuso, as suas obrigações.
A população brasileira perplexa acompanhou as criticas e os pedidos de desculpas do Presidente do Brasil, ao considerar abusiva a operação da Polícia Federal no Senado.
A população brasileira percebe que o Supremo Tribunal Federal por ser conivente, omisso e/ou incapaz - não tem a menor condição de processar Deputados, Senadores e Ministros corruptos. Vox populi, Vox Dei.
A população brasileira não admite que as instituições brasileiras de Justiça funcionem do modo como estão funcionando, obviamente, objetivando colocar panos quentes, disfarçar o que não dá mais para esconder.
Os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário precisam ser lavados com detergente poderoso, porque, as vergonhosas nódoas não são fáceis de serem removidas.
A população brasileira - remunerando ricamente e a duras penas  aqueles que se acham “os poderosos brasileiros” - rechaça o desrespeito e o modo ridiculamente infantilizado como vem sendo tratada pelos Poderes – Legislativo, Executivo e Judiciário.
Os Poderes – por força dos ofícios que exercem – já deveriam ter percebido que quando os informantes chegam com a farinha, a população brasileira já está entregando o bolo.
O Brasil merece respeito.
   Por :    Profa. Guilhermina Coimbra
*Curriculo Lattes; Pesquisadora/CNPq, CAPES, FAPERJ, FGV-Rio; Parecerista.

Nenhum comentário: