quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Portugal Telecom: Lula, Zé Dirceu, José Sócrates, PP, PDT, Lewandowski, Banco Espírito Santo

Nota minha: Há possibilidade da Justiça portuguesa decretar prisão preventiva do Luiz Inácio Lula da Silva antes mesmo da Justiça brasileira. O ex primeiro ministro José Sócrates já está em prisão domiciliar. A Justiça portuguesa não é tão seletivo e tolerante como a Justiça brasileira, doações ilegais do Portugal Telecom para a campanha do Lula e Silva na reeleição, com recursos da Portugal Telecom em cerca de $ 200 milhões de euros ou equivalente a cerca de R$ 700 milhões, é crime praticado em Lisboa [11].
01) Ricardo Salgado declarou ao juiz na 2. Vara Criminal de Lisboa que o Grupo Espírito Santo (GES) nunca foi contactado para financiar o Partido dos Trabalhadores de Lula da Silva. O presidente do BES foi ouvido como testemunha, a pedido por carta rogatória, das autoridades judiciais brasileiras. 
02) Antes de Ricardo Salgado, Miguel Horta e Costa, antigo presidente da Portugal Telecom e atual vice-presidente executivo do BES Investimento, e António Mexia, antigo ministro das Obras Públicas e atual presidente da EDP, tinham sido ouvidos, a 30 de Outubro, no mesmo tribunal, como testemunhas;
03) Revelação de que havia 900 milhões de dívida do Grupo Banco Espírito Santo nas contas do PT; a Odebrecht, que venceu o concurso para a construção do troço Poceirão-Gaia do TGV, em parceria com o Grupo Lena, do qual foi administrador até 2009, Carlos Santos Silva o amigo e financiador de José Sócrates; e, por fim, a cimenteira Camargo Corrêa, de que foi administrador para África Armando Vara, recentemente detido na Operação Marquês. Várias notícias na imprensa portuguesa davam conta de que a equipe que investiga a Operação Marquês procurava indícios precisamente na relação entre Lula, Sócrates e a Odebrecht;
04) Hermes Magnus, o empresário brasileiro que foi primeiro denunciante do caso Lava Jato no Brasil, explicou, “Queriam que eu levasse para o Brasil dinheiro de contas do BES, no Porto. As contas eram dele [José Janene, cacique político do PP-Partido Progressista [12], para lavar dinheiro em Portugal, mas ouvi dizer que estavam associadas a sociedades off-shore.” Magnus recusou;
05) A conexão portuguesa Lula, Zé Dirceu, Casa Civil, Banco Espírito Santo doou a Brasil Telecom por R$1,00 para formar a BrOi/ Daniel Dantas/lulinha, desmontou as reservas do IRB Instituto de Resseguros do Brasil que saldou a dívida da campanha do PT e do PDT;
06) Dilma Russef, escolheu a cidade do Porto para um encontro “discreto” com Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal brasileiro, supostamente para discutir o caso Lava Jato; 
07) Em 31/08/2015 é anunciado pelo jornal ao Público de Portugal, A corretora chinesa Haitong International Securities  uma das maiores corretoras da China.assumiu o controle oficial da subsidiária brasileira do Banco Espírito Santo Investimentos (BESI), o banco era o braço de investimentos do português Banco Espírito Santo, que quebrou no ano passado e foi reestruturado pelo governo de Portugal, dando origem ao Novo Banco. O BESI foi vendido para os chineses em dezembro do ano passado por € 379 milhões para atuar como banco de investimentos do grupo na Europa. Com isso, também receberá as operações no Brasil!, África e Oriente Médio.  A autorização da venda do BESI para o Haitong pelo Banco Central Europeu (BCE), porém, dependia da aprovação do BC brasileiro!!!.[3]
08) Veiga/Colnaghi  presos, depois de tentar comprar o controle do Banco Internacional de Cabo Verde, espólio do falido Grupo Espírito Santo;Colnaghi, Palocci, Asperbras, [14].
Resultado de imagem para bANCO besi


 ****************
Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão do José Dirceu, esteve reunido com o poderoso presidente do Banco Espírito Santo, ocorreu na sede do BES, em Lisboa, e teve como interlocutor o ex-presidente do BES Ricardo Salgado, antes de intervenção do Banco Central.
Em Portugal, conforme notícia do jornal Público  Luiz Eduardo Oliveira e Silva juntamente com o irmão José Dirceu e Lula da Silva estão sendo objeto de investigações.

 
O jornal Público de Portugal, publicou reportagem sobre doações ilegais da Portugal Telecom para a campanha do Lula e Silva, na reeleição, com recursos da Portugal Telecom em cerca de $ 200 milhões de euros ou equivalente a cerca de R$ 700 milhões de reais. O destino desta doação ilegal, está sendo investigado pelo Ministério Público português com a prisão do primeiro ministro José Sócrates e o pedido de prisão de Lula no Brasil. [1]
Os 25 milhões de euros que a ex-chefe de gabinete da presidência brasileira em São Paulo Rose terá depositado em nome de Lula da Silva numa agência do Banco Espírito Santo (BES), no Porto em Portugal, serão provenientes do comércio ilegal de diamantes[13]. 

O Banco Espírito Santo (BES), de Portugal, foi acusado pelo deputado Roberto Jefferson de ser o pivô de uma fracassada operação para resolver parte das dívidas de campanha do PT e do PTB. Este ultimo partido era, na época, o “dono” do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB), dirigido por Lídio Duarte, indicado pelo próprio Jefferson. O plano era transferir para o BES US$ 600 milhões de reservas técnicas do IRB aplicados em outros bancos europeus, contra o pagamento de uma “comissão” de R$ 50 milhões com os quais o PT saldaria dívidas de campanha com o PTB. Segundo Jefferson, a operação tinha sido combinada entre Dirceu e o diretor do BES no Brasil, Ricardo Espírito Santo, em encontros articulados, no Brasil e em Portugal, por Marcos Valério[2]

Sim, tinha havido uma reunião na Casa Civil (Dilma ministra não sabe de nada!) com a presença de Ricardo Espírito Santo, Jose Dirceu, Marcos Valério e Emerson Palmieiri tesoureiro do PTB, em 11 de janeiro de 2005. Treze dias depois, Valério, Palmieri e Dirceu seguiram para Lisboa onde, segundo Jefferson, iriam fechar o negócio envolvendo o IRB Instituto de Resseguros do Brasil.[2]
 
Marcos Valério estava mesmo intermediando a negociação entre a Portugal Telecom e a Telemig, exibindo como credencial o seu acesso privilegiado à Casa Civil. Os contatos que fez em Portugal o colocaram na posição ideal para intermediar, mais adiante, a solução imaginada para as dividas de campanha do PT com o PTB através do “esquema IRB”.[2]

José Eduardo Cardozo, integrou a comissão especial criada pela Executiva Nacional do PT para investigar o caso de desvio dos recursos do IRB. Ao lado do então deputado, jurista e ex-jornalista Hélio Bicudo, que deixou o PT após o escândalo do Mensalão, em 2005, Cardozo concluiu em seu relatório que tanto o compadre de Lula, Roberto Teixeira (na foto abaixo) como o irmão deste atuaram dolosamente para desviar o dinheiro das prefeituras controladas pelo partido através da empresa CPEM com a qual “prestavam assessoria” às prefeituras petistas, e que este “Atuou com evidente abuso da confiança de que desfrutava no partido em face da notória relação de amizade que mantém com o presidente de honra do PT” Teixeira ajudou o empresário Daniel Dantas, do grupo Opportunity, a defender seus interesses junto ao governo na disputa que travou com fundos de pensão pelo controle da Brasil Telecom[9]. Lula, como sempre, negou que soubesse de qualquer coisa “A responsabilidade dele (Lula) ficou claríssima – disse Bicudo. Foi pedida a instalação de uma comissão de ética, mas isso foi deixado de lado por determinação de Lula, porque Roberto Teixeira era compadre dele. O único punido foi o Paulo de Tarso Wenceslau, autor da denúncia[10]. Lula nunca mais perdoaria Cardozo por ter envolvido seu  nome. Quando Tarso Genro deixou a pasta da Justiça para concorrer ao governo do Rio Grande do Sul, com Lula ainda na presidência, Tarso indicou Cardozo como seu sucessor.[2]
 
 Ricardo Teixeira e Daniel Dantas
O presidente Lula tinha recebido Ricardo Espírito Santo e Miguel Horta e Costa, na época presidente da Portugal Telecom, no Palácio, levados a ele por Marcos Valério, no encontro foram tratados os investimentos da Portugal Telecom no Brasil.

Conselho da Portugal Telecom — Nuno Vasconcelos  acabou vindo, então, para o Brasil onde, violando as leis nacionais sobre propriedade de mídia por estrangeiros, montou o jornal Brasil Econônico, do qual ninguém menos que a mulher de José Dirceu, Evanise dos Santos, vem a ser a “diretora de marketing”. Ha ainda a Oi/Telebras, que entra nessa guerra em aliança formal com o estado petista mas já nasce com vícios e dividas[4].
 

Nuno Rocha dos Santos de Almeida e Vasconcelos, 45 anos, mais conhecido como Nuno Vasconcelos, “dono” da Ongoing Strategy Investments, operar todos os negócios da Portugal Telecom, tornou-se sócio, com perto de 2%, do Banco Espírito Santo, o maior banco privado do país; comprou o Diário Econômico e o Semanário Econômico de Lisboa por um preço que os próprios vendedores consideraram “irrealista” O capital segundo Nuno Vasconcelos,  tem sua origem na prosaica Sociedade Nacional de Sabões (SNS) que chegou a ser uma potencia para os modestos padrões portugueses Barrado em seu país por violação das leis veio dar com os costados na Terra de Vera Cruz. Difícil não é saber de onde vem o dinheiro que a esposa de Nuno Vasconcelos alega ter investido para fundar o Brasil Econômico e comprar os jornais do grupo O Dia. Difícil é saber de onde vem o dinheiro do próprio Nuno Vasconcelos.[4]


Nuno Vasconcellos e Rafael Mora têm sido aves migratórias: ora estão em Lisboa, ora estão em São Paulo ou no Rio de Janeiro. A seguir rumam a Madrid. E já foram a Pequim. São o símbolo de uma época, marcada pelo culto da imagem e do dinheiro fácil, pela busca de influência. Os bastidores da atividade da Ongoing (que detém o Diário Económico) sempre despertaram curiosidade. Começou por ser um veículo do BES na Portugal Telecom mas, com o tempo, foi escapando à sua órbita. Nos últimos meses, surgiu envolvida em polêmicas que juntam partidos, maçonaria e ex-espiões [7]. 

E a 8 de Julho de 2010, vinte dias antes de a Portugal Telecom anunciar o acordo final com a Oi, Dirceu deslocou-se a Lisboa para estabelecer contatos ao mais alto nível.  “a fusão da Oi com a Brasil Telecom ou com a empresa  Portugal Telecom."
 
Em Portugal o ex-ministro-chefe da Casa Civil de Lula da Silva surgiu associado ao escritório de advocacia português Lima, Serra, Fernandes & Associados, chefiado pelo grão-mestre do Grande Oriente Lusitano (GOL) [Fernando Lima] que, até ao início do corrente mês, era presidente da Galilei (ex-SLN). O PÚBLICO apurou que, entre 2007 e 2008, a Lima,Serra,Fernandes & Associados prestou apoio à PT, no quadro do dossier Vivo, tendo recebido mesmo uma avença da operadora nacional [8].
Rafael Moura e Miguel Relvas
Rafael Mora, membro do conselho de adm. da Portugal Telecom e vice-presidente da Ongoing dizia: onde está a Oi está o dinheiro, E está o poder  o maçon, que ajudou a dinamizar a Loja Mozart 46 – sempre na companhia de Nuno Vasconcellos.  Também Miguel Relvas, o ex-ministro dos Assuntos Parlamentares, filiado então na mesma loja maçónica do líder da LSF & Associados, Fernando Lima, a Universalis, manteve uma relação de amizade com José Dirceu.  Em 2012 Miguel Relvas confirmou ao PÚBLICO que o relacionamento datava de 2004, apesar de "já não o ver [a Dirceu] há cerca de um ano".”

Notas:

[5] Série: O Jogo Mundial do Poder  2 Um meteoro no céu da mídia  http://vespeiro.com/2010/05/30/2800/

[6]http://www.publico.pt/mundo/noticia/onde-as-suspeitas-sobre-lula-se-cruzam-com-o-caso-de-socrates-1702380


[12] O deputado do PP corrupto, o principal envolvido no Petrolão José Mohamed Janene - mulçumano, morto aonde a CPI já pensa na exumação para verificar se realmente é ele o morto até a viúva acredita que ele está vivo, era amigo intimo da Dilma  Rousseff fazia churrascos especiais de  cordeiro para ela. Sorte ter sobrado Hermes Magno para nos relatar a verdade sobre o início da Operação Lava Jato.
[13]  http://www.cmjornal.xl.pt/mundo/detalhe/rose-envolvida-com-diamantes.html
[14] http://mudancaedivergencia.blogspot.com.br/2016/11/colnaghi-palocci-asperbras-usou-proex-e.html

Nenhum comentário: