sábado, 15 de junho de 2013

NÃO À OTAN NO ATLÃNTICO SUL

Pergunto? Se os EUA não pode, porque a Rússia pode! não consigo entender "os intelectuais" que torcem pelo bloco comunista BRICS!


...“A Rússia também espera gradual transformação do agrupamento Brics de um mero fórum de diálogo a um mecanismo de cooperação estratégica voltado à resolução coletiva de problemas.”
Nesse sentido, o conflito na Síria também está na pauta oficial do encontro. O Brasil tem demonstrado o apoio à realização da conferência internacional de paz, em Genebra, e Dawood explica que a visita do ministro das relações exteriores russo ao Brasil deve buscar fortalecer o apoio brasileiro. “Há convergência entre o Brasil e a Rússia no que se refere à posição contrária a uma intervenção militar externa na Síria liderada por um arranjo como a Otan, por exemplo.”
COMENTÁRIO:
A posição do Governo do Brasil tem que ser firme: NO OTAN! NEVER OTAN! JAMAIS OTAN! JAMÁS OTAN! FUERA OTAN! GO HOME OTAN! FORA OTAN!

No Atlântico Sul os sulamericanos somente admitirão a OTAS - A Organização do Tratado do Atlântico Sul - que a "inteligentzia" e os MREs dos Estados da América do Sul já deveriam, há muito tempo,  ter tido a idéia de estar preparando, face às ameaças veladas etc. etc...

Perguntas que não querem calar: Será que a invasão das Malvinas não foi suficiente para que já tivessem estado se preparando? 
O TRATADO DO ATLÂNTICO SUL composto de tropas sulamericanas - é o raciocínio LÓGICO, COERENTE, DE BOM SENSO, NATURAL E INEVITÁVEL!

Amigos, muy amigos e friends, defesas à parte.
Cúmulo da desfaçatez, a ameaça velada contida na participação  de general estrangeiro, representando  a OTAN, em Seminário de Defesa internacional, realizada em um Hotel, no Rio  de Janeiro, promovido por uma instituição brasileira de relações internacionais, terminar a conferência dizendo:..."de qualquer modo e em qualquer circunstância, a OTAN estará sempre apoiando os EUA...". A OTAN rechaçada em toda a Europa, tentando ameaçar a América do Sul - o único Continente do qual, as empresas internacionais e multinacionais, retiram em paz, os seus maiores lucros! 
Se os de fora do Continente Sulamericano pensam que os Governos sulamericanos são massa de manobra que permitem se deixar idiotisar e se conformar com as insanidades que os de fora costumam maquinar - é problemas deles. 
O problema dos Governos Sulamericanos é impedir a qualquer custo que sequer tentem transformar a América do Sul em um Oriente Médio, um Egito, uma Síria, um Afeganistão.
Todos destruídos por eles - e re-construídos por eles, a peso de ouro - uma nova infeliz e ridícula forma "descoberta"  por eles de burlar os princípios administrativos da contratação pública (publicidade, eficiência, legalidade, moralidade, licitação pública etc., etc., e etc., etc..
Chegam nos países alvos, destroem tudo e depois posam de "bons mocinhos" como se o restante do mundo fosse massa acéfala e não percebesse o quanto cobram e recebem para as re-construções.
Se é ou não com a cobertura da famigerada OTAN, não interessa: a todos eles o nosso profundo desprezo, desdém, repulsa, nojo!
E se há ou não convergência..."entre o Brasil e a Rússia no que se refere à posição contrária a uma intervenção militar externa na Síria liderada por um arranjo como a Otan, por exemplo.” - bom mesmo é ficar de sobreaviso, atento e não se entusiasmar, muito, não!
Uma das táticas (ou será estratégia?) para convencer os renitentes tem sido justamente mandar "enviados" com a mesma "idelologia", de modo que, desarmando os "ideólogos" - fazê-los agir exatamente como querem (não lembram, faz pouco tempo, as gargalhadas incontidas no encontro de dois ex-presidentes dos países deles?).
Força Governo brasileiro - o Brasil já resistiu antes, resista mais um pouquinho, de igual para igual, sem nenhuma subserviência, porque Vs. estão representando o BRASIL SÃO QUE NÃO TEM MEDO DE FUMAÇA E NÃO SE ENTREGA NÃO - lembrando Gonzaguinha. 
O Brasil É AMIGO - podemos, até dizer, o ÚNICO amigo desinteressado que eles. têm: os demais têm mas, são fortes interesses que os obriga e ajuda a dissimular o que realmente sentem entre eles! (Entre tais interesses, o de dividirem entre si, as re-construções do que viciosamente costumam destruír, no mundo-que se permite-ser destruído).
Os brasileiros estão  atentos. Não adianta fazerem as politiquinhas ridículas com os indígenas nem com os favelados, não! Está todo mundo de olho! E ridicularizando: decidiram re-descobrir o Brasil, através  da cooptação dos indígenas e dos favelados. Ambos, inteligente e espertamente, aceitaram ser re-descobertos. Mas, não se iludam. Lembrem-se dos exemplos históricos, no  qual paísinho desarmado, botou para correr..., etc. etc..  Melhor, não repetí-los! Melhor, parar, enquanto é tempo, com esta marcha insana, insensata e ridícula - que somente os obcecados em invasões, em se apropriarem ridiculamente de territórios alheios e etc. etc., etcs., insistem em pagar para ver, esforçam-se em não ver! 

Professora Guilhermina Coimbra G. C. www.ibin.com.br

Um comentário:

Anônimo disse...

voce nao entende???Os Brics, têm, hoje, como grupo, não apenas o maior território e população do mundo, mas também; mais que o dobro das reservas monetárias dos EUA, Japão, Alemanha, Inglaterra, Canadá, França e Itália, somados e mais de 180 países que já assinaram propostas consigo.
Recentemente; após o golpe e sobe a liderança do governo Temer; já se demonstrou seus verdadeiros interesses; renunciando parcerias com países da África e da América Latina e aos demais países do BRICS, para fundir o Brasil com o capitalismo vigente na Europa e nos Estados Unidos.Vejam bem o Banco dos Brics: a primeira pedra que Serra vai desmanchar para os EUA
Quebrar o monopólio da Petrobrás criado pelo Ex-Presidente Lula, e com a ajuda de José Serra ceder parte destas concessões do exploramento do “Pré-Sal”, ás multinacionais do petróleo americano, e mais tarde quando houver a queda dos lucros da Petrobrás, será o momento ideal para vende-la, satisfazendo o anseio dos Barões Sionistas.