sexta-feira, 26 de agosto de 2011

A desgraça que Sarkozy, Obama e Cameron trouxeram à Líbia pode, finalmente, unir os árabes.

Kadafi quis ser independente dos ricos. A OTAN, o neoimpério, cuidou de detoná-lo, mandando para a Líbia sua frota aérea e marítima mortífera, para fortalecer os rebeldes e estabelecer a democracia na ponta do fuzil. 
http://www.anovademocracia.com.br/81/cp1.jpg


  • Os brutos agem apresentando-se como agentes do bem, da civilização, da paz... Hitler jamais aceitara tanto cinismo, tanta hipocrisia, tanta mentira. A Segunda Guerra começou por bem menos do que já fizeram os exércitos ocidentais em sua cruzada contra o “terrorismo” internacional. Há também outra diferença entre Hitler e Sarkozy, um dos destacados senhores da guerra de recolonização do mundo; ao contrário de Sarkozy, Hitler teve a coragem de lutar contra inimigos de igual ou superior poder e dizia o que pensava.  Sarkozy prefere atacar os mais fracos, embora nunca o faça sozinho.




As ‘notícias’ iniciais, de que Kadafi estaria cometendo “genocídio” contra o próprio povo, ou que teria ordenado estupros em massa, sempre foram simples reprodução de boatos jamais confirmados ou dos panfletos de propaganda produzidos em Bengazi. O jornalismo enganoso, faz vergonha a qualquer jornalismo. Hoje se sabe que foram decisivos, somente, para comprometer de vez a credibilidade de organizações como ‘Anistia Internacional’ e ‘Human Rights Watch’.  

No início de março, Sarkozy, que despencava nas pesquisas como candidato à reeleição, acreditou no que lhe disse o “novo filósofo” Bernard-Henri Lévy, que estivera em ‘vilegiatura’ por Bengazi dia 6 de março, que a Líbia e todo seu petróleo estariam ‘no ponto’ para serem confiscados. Dia 11 de março, Sarkozy, impulsiva e precipitadamente, reconheceu a gangue de Bengazi como legítimo governo da Líbia e pôs-se a esperar, cheio de fé, o colapso de Kadafi.

A falta de vergonha e  sensibilidade aliada à incapacidade política de Sarkozy levou-o já a declarar que a França vai receber de imediato um terço de todo o crude produzido na Líbia pela sua "generosa" participação na ajuda aos rebeldes na destruição das infra-estruturas da Líbia, na morte de quase sessenta mil árabes e na fuga e desespero de mais de um milhão.

A agressão imperialista contra a Líbia consumou-se com a tomada de Tripoli. Milhares de líbios morreram sob a agressão da NATO, mandatada pela ONU . O futuro próximo da Líbia é negro. As suas reservas monetárias e financeiras – depositadas em bancos ocidentais – foram roubadas pelas potências imperiais (tal como aconteceu com as do Iraque). E os abutres vão agora à caça dos despojos, à repartição do botim, aos contratos polpudos. Os bandos do CNT, uma vez findo o enquadramento de mercenários, podem começar digladiar-se entre si. 

Registe-se a bravura e coragem do governo Kadafi, que aguentou durante seis meses uma guerra impiedosa promovida pelas maiores potências do planeta. A ficção de que se tratava de uma guerra "civil".
Tripoli está em vias de colapso
A NATO bombardeia de maneira aleatória para aterrorizar mais e mais... É difícil dizer se o perigo é tão importante quanto parece. As ruas da cidade vazias. Toda a gente permanece enclausurada na sua casa. Quem são estas "forças especiais"? Thierry Meyssan disse: são formadas por franceses e britânicos! Desde o princípio, são eles que fazem tudo; a NATO trouxe um barco até as proximidades de Tripoli, do qual foram desembarcadas armas e forças especiais. a NATO que faz tudo.
Depois de eles "NATO" se retiraram, então vêm "os rebeldes" fazer a figuração. 
As pessoas estão paralisadas pelo medo; atira-se de toda a parte; e além disso bombardeia-se.
A Agência Líbia de Notícias (JANA) relatou as declarações de Zouzou segundo as quais a casa que foi bombardeada domingo em Arada é um edifício civil e não militar e que uma família inteira foi morta, qualificando este ato de « crime perpetrado pela NATO no quadro do genocídio do povo líbio.E disse cinicamentre o  ministro francês da Defesa, Gérard Longuet a França e a Grã-Bretanha se comprometeram a proteger na Líbia,  aqueles que combatem pela liberdade”, O secretário do Congresso Popular de Base de Souk Jumaa em Tripoli, Youssef Jumaa Zouzou, anunciou que as famílias cujas habitações foram bombardeadas pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), em Arada (subúrbio leste de Tripoli) apresentaram uma queixa contra a aliança, contra o Presidente francês, Nicolas Sarkozy, e contra o Governo britânico.
Os rebeldes começaram a compreender que tanto Sarkozy como Obama e Cameron o que pretendem são as riquezas da Líbia e não a ajuda cínica e "amiga" de que o Sarkozy fala.

Saif al Islam, filho do líder Muamar Kadafi, afirmou que seu pai financiou a campanha eleitoral do presidente francês, Nicolas Sarkozy, e pediu ao governante europeu que devolva esse dinheiro porque ele "decepcionou" a população líbia possui "todas as contas bancárias, documentos e movimentações financeiras". "Fomos nós que financiamos sua campanha. Temos todos os detalhes e estamos prontos para revelá-los", declarou o filho de Kadafi; assim, Sarkozi disparou o primeiro tiro contra a Líbia.



Por muito que a NATO provoque e assassine os árabes, estes já não se deixarão enganar, mesmo que alguns traidores oportunistas, e com espírito de subserviência, continuem ligados a quem mata horrorosamente o povo árabe.

Eles compreenderam que vale mais viver livre, mesmo com as discussões entre árabes, do que submetidos à vontade da máfia estrangeira que os invadiu e mata com infamantes bombardeamentos sobre árabes.

E verificaram este engano, conluio, genocídio e ganância das forças invasores pelo começo da invasão e agora, quando o Sarkozy, ao pensar que os árabes estavam derrotados, imediatamente veio dizer que queria já um terço de petróleo para pagar a contribuição "amiga" ao contribuir para o massacre de dezenas de milhares de árabes e ao subverter toda a organização que tem dado a prosperidade à nação Líbia.

Os árabes verificaram assim, que ainda o conflito vai no adro já os invasores se preparam para devorar e dividir as riquezas, ao mesmo tempo que tentam acalmar a China, a Rússia e a Índia assegurando-lhes que a presa chega para todos.

Mesmo que os invasores matem Kadhafi, os árabes despertaram.
Com os crimes continuados da NATO, os árabes perceberam a armadilha em que alguns caíram
NATO mercenários
A invasão começou com um engano, quando a NATO afirmou que entrava na Líbia só para que o espaço aéreo não fosse sobrevoado pelos aviões do Governo.


A NATO, logo que viu que Kadhafi tinha acatado a decisão, imediatamente entrou no país mártir e destruiu tanto aviões no solo, barcos, estações de televisão e complexos habitacionais, não se preocupando que ali estivessem tanto rebeldes como nacionalistas, apoiantes de uma Líbia unida, coesa e rica, mesmo com as discordâncias entre uns e outros.


Os árabes viram agora, que mesmo antes da Líbia morrer já os invasores abocanham tudo o que levou muitos anos a construir.

2 comentários:

Marilda Oliveira disse...

Tradução

URGENTE: Um amigo me disse por telefone que na Líbia existem muitos feridos nas cidades de Sirte e Walit Beni permanecem sob os escombros , como resultado do bombardeio brutal da NATO e as pessoas não podem sair ou fazer o resgate , porque a NATO não pára o ataque e aviões e helicópteros atirar em tudo que se move. Sirte e Bani Walid fez um apelo ao mundo humanitário ... Apelo para ajudar em o covarde bombardeio e injusto para resgatar os civis detidos sob os escombros , antes que seja tarde demais , Centenas de pessoas ... Por favor, espalhe a notícia

Postado por Eleanor às 12:56
E-mail
BlogThis
Compartilhar com o Twitter
Compartilhe com Facebook
Compartilhar com Google Buzz

Tags: Conflito fevereiro 2011
http://leonorenlibia.blogspot.com/2011/09/urgente-sirte.html

Marilda Oliveira disse...

OS ABUTRES REPARTEM O BOTIM
Estão reunidos em Paris, numa cimeira convocada por Sarkozy & Cameron , os países que participaram da agressão contra a Líbia. Consideram eles que chegou o momento de repartir os despojos. E cada um deles quer garantir o seu naco o mais depressa possível, antes que o vizinho o tome. Falam em "ajuda" à Líbia, mas o que querem é saqueá-la – inclusive os activos do seu banco central e do seu Fundo Soberano congelados no estrangeiro. (Link: Líderes internacionais em cimeira com novos governantes líbios.)