segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Empresa Estratégica de Defesa - Sisfron

Obs: O Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - Sisfron foi lançado em 2008 por Lula da Silva para monitorar as fronteiras em modernas tecnologia conforme promessas no lançamento foram feitas, e acontece  a desculpa de sempre, falta de verbas falta de interesse político, não deixou o sistema funcionar dentro do Brasil. Deduzimos que estão usando essa Defesa, para vender as tecnologias para não nacionais acima de R$50 milhões!; — Não adianta as FFAA atuarem sozinhas nas fronteiras como vem ocorrendo, deve ser em conjunto com a Polícia Federal especialistas em detectar a droga, IBAMA especialistas em áreas e demarcações.  Os narco e traficantes usam  a arma AK 45 soltando 600 tiros por minuto fornecida a preço de banana vindas do arsenal da Venezuela que passam livremente pela fronteira, a defesa brasileira está muito mal armada, muito mal aparelhada, muito mal assessorada.
 - A diplomacia brasileira não tem ação, não tem liderança trans-fronteiriças e trans-nacionais, quando a moeda de troca brasileira deveria ser a repressão. 
 - Os leitores vão ponderar abaixo o que a Lei determina: os fabricantes de armas e tecnologia de defesa terão que ter fábrica no Brasil se submetendo a Empresa Estratégica de Defesa  nos responde  assim, porque os Islâmicos estão construindo fábrica de armas no Brasil em Goiás.
-----------------------------
No ano de 2008, o decreto de número 6.703 assinado pelo então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, estabeleceu a Estratégia Nacional de Defesa, que traçou diretrizes para a modernização e fortalecimento das Forças Armadas Brasileiras, tendo em vista a segurança nacional. Um dos principais pontos dessa estratégia é o credenciamento e o apoio às chamadas Empresas Estratégicas de Defesa, as EEDs. Você sabe o que isso significa?
Resultado de imagem para Empresa Estratégica de DefesaResultado de imagem para Empresa Estratégica de Defesa
As Forças Armadas reconhecem o importante papel da iniciativa privada no desenvolvimento de tecnologias que podem ser usadas para a defesa do País.  Por isso, a lei 12.598/2012 criou uma série de incentivos para as empresas consideradas pelo Ministério da Defesa como estratégicas. Essas empresas, que passam por uma criteriosa avaliação, são aquelas que dispõe de conhecimento e de tecnologias essenciais para  a manutenção da soberania nacional.

Para se tornar uma EED…a empresa precisa preencher uma série de requisitos. Entre eles, ter sua sede administrativa e industrial no Brasil,(Islâmicos construindo fábrica de armas em Goiás/Brasil) investir em atividades de pesquisa e ter maioria de brasileiros em seu quadro de acionistas; Mas uma das condições mais importantes diz respeito ao compartilhamento tecnológico: a EED -   Empresa Estratégica de Defesa  deve compartilhar com as forças armadas os direitos de propriedade intelectual e industrial de seus produtos. No entanto, ela poderá contar com a imensa e moderna estrutura das forças armadas para desenvolver ainda mais suas tecnologias e receberá incentivos para o desenvolvimento tecnológico. Com isso, a empresa poderá acelerar o processo de inovação e gerar novas tecnologias, que ela poderá fornecer, com sua própria marca, ao mercado. Concluo: o exército está sendo usado para vender a não nacionais os direitos de propriedade sisfron acima de R$50 milhões, enquanto as fronteiras brasileiras continuam no abandono.[1] 

Resultado de imagem para Empresa Estratégica de DefesaResultado de imagem para Empresa Estratégica de Defesa
Com Odebrecht, Perpétua Almeida,.. funcionará o setor estratégico no Ministério da Defesa!
13/01/2012: 16.886 quilômetros separando o Brasil de 11 países vizinhos, numa faixa que abrange dez Estados e 27% do território nacional. Uma área tão extensa que vigiá-la tornou-se quase impossível. serão gastos R$ 11,9 bilhões ao longo dos próximos dez anos para montar o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), (Não concluído por falta de verbas); —  A Embraer Defesa e Segurança seu presidente Luiz Carlos Aguiar, a maior do setor, comprou a fabricante paulista de radares Orbisat e 50% do controle da Atech, especializada em integração de sistemas e responsável pelo projeto básico do Sisfron, concluído em dezembro/2011; Três meses antes, a companhia de São José dos Campos desembolsou R$ 85 milhões para firmar uma joint venture com a gaúcha AEL Sistemas, subsidiária da israelense Elbit, criando a Harpia, para desenvolver veículos aéreos não tripulados (Vants) nacionais. O Sisfron representa um avanço tecnológico;  Entre elas, a americana Rockwell Collins, a alemã Rheinmettal, a espanhola Indra e a italiana Selex;  Desde então, o Exército já recebeu a visita de pelo menos 100 companhias interessadas; —  Mas o tabuleiro se agitou depois de setembro, com a criação da Empresa Estratégica de Defesa, que nada mais é que uma pessoa jurídica à qual qualquer companhia estrangeira deve obrigatoriamente se associar para projetos acima de R$ 50 milhões ? como é o caso do Sisfron. O movimento mais recente foi da francesa Thales, uma gigante com faturamento de ? 13,1 bilhões que, em dezembro, anunciou uma parceria com a construtora Andrade Gutierrez. (agora entra os envolvidos na Lava Jato); —  Além de Embraer e Andrade Gutierrez, a mais adiantada nesse processo é a Odebrecht, que criou em 2011 sua divisão de defesa e segurança depois da joint venture com a francesa Cassidian, do grupo EADS, entre outras construtoras, como Camargo Corrêa e OAS; — Numa faixa de fronteira de 650 quilômetros, na divisa entre Mato Grosso do Sul e a Bolívia e o Paraguai, aonde  devem funcionar 12 radares, cada um com alcance de 60 quilômetros, ligados ao Comando Militar do Oeste, em Dourados (MS); — O Orçamento da União de 2012 aloca R$ 172,8 milhões para essa finalidade. Essa fase experimental será a primeira iniciativa de integração das diversas plataformas de vigilância, dos radares aos Vants, com o centro de comando. Se der certo, o modelo será replicado nos outros 16 mil quilômetros de fronteira. (Janeiro de 2017 nada evoluído por falta de verbas e  vontade política e a soberania brasileira continua à deriva) [2] 
ou melhor: de olho na mentira da proteção nas fronteiras:
Mais informações sobre o assunto:
Termina “Operação Ágata 11” na fronteira do Brasil com a Colômbia
http://radios.ebc.com.br/reporter-solimoes/edicao/2016-06/termina-operacao-agata-11-na-fronteira-do-brasil-com-colombia
As Forças Armadas iniciaram nas fronteiras do estado do Pará e Amapá a operação “Ágata 10".
https://www.youtube.com/watch?v=Aij0UaQpTPc
REPORTAGEM COMPLETA SOBRE A OPERAÇÃO ÁGATA 10 DO EXÉRCITO BRASILEIRO JUNTAMENTE COM A MARINHA, AERONÁUTICA E DIVERSAS AGÊNCIAS NACIONAIS
https://www.youtube.com/watch?v=MYooV0kj4J8
Exército Brasileiro assina contrato com Consórcio Tepro para a primeira fase do Sisfron
http://www.embraer.com.br/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Exercito-Brasileiro-assina-contrato-com-Consorcio-Tepro-para-a-primeira-fase-do-Sisfron.aspx
Consórcio Tepro seleciona fornecedores de subsistemas para o Projeto Sisfron
http://www.embraer.com/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Consorcio-Tepro-seleciona-fornecedores-de-subsistemas-para-o-Projeto-Sisfron.aspx
Defesa bilionária
http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20120113/defesa-bilionaria/93709.shtml
Um adicional de R$ 450 milhões, deve ser liberado para o programa SISFRON do Exército Brasileiro (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), anunciou o ministro da defesa Raul Jungmann.

https://fatosmilitares.com/2017/01/governo-aprova-fundos-para-o-sistema-de-controle-de-fronteiras-sisfron/

Pesquise:
[1] http://www.defesanet.com.br/bid/noticia/13255/MD---Portaria-3228----Empresas-Estrategicas-de-Defesa/
[2]http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/economia/20120113/defesa-bilionaria/93709.shtml

Nenhum comentário: