sábado, 2 de julho de 2016

Eduardo Braga e Lirio Albino Parisotto (PMDB-AM) político mais rico do Brasil. Viva o BNDES! Viva a Petrobras! Viva Minas e Energia!

A aquisição da petroquímica Innova pela Videolar, aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que pode custar ao final da transação até R$ 1,27 bilhão; VEJAM, que o advogado de defesa da Videolar, é Gesner de Oliveira, ex-presidente do Cade e da Sabesp!!!  e  Parisotto (PMDB AM) "o político mais rico do Brasil e  rei dos acrílicos poliestireno no AM" é suplente do indiciado pela Lava Jato Eduardo Braga (PMDB AM)
Que tem boi na linha, tem!

Esses políticos não entendem que a Zona Franca de Manaus foi criada no regime militar,  para beneficiar e prosperar a região de Manaus e não para deixar bilionário políticos corruptos. A isenção de impostos é para produtos utilizados dentro da Zona Franca. Não há fraude prejudicando o ser humano, que dure para sempre.

Segundo a Forbes, o político mais rico do Brasil é Lirio Albino Parisotto (PMDB-AM) -  com um patrimônio líquido de 1,9 bilhão de dólares.  Lirio Albino Parisotto nascido na região Sul do país, atualmente vive em Manaus. Parisotto,  foi eleito como suplente do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) m 2010 para participar de sua chapa eleitoral. , é um dos maiores investidores do mercado de ações do Brasil.
Ex-executivos da Andrade Gutierrez contaram em depoimento sob delação premiada, na Lava Jato, que pagaram propina também aos ex-governadores do Amazonas e atuais senadores Eduardo Braga (PMDB), ex-ministro de Minas e Energia do governo Dilma.
Uma nova delação premiada do ex-diretor de Relações Institucionais do Grupo Hypermarcas, Nelson Mello, aponto o repasse de R$ 30 milhões em propina para senadores do PMDB, como o presidente da casa, Renan Calheiros, o ex-ministro do planejamento, Romero Jucá, e o ex-ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, segundo o jornal O Estado de S. Paulo  de 28/06/2016.
Braga se esconde no Rio de Janeiro, praticando o hobby que mais cultiva: tomando champagnes Dom Perignon e vinhos Chateau Cheval Blanc, o parceiro de todos as horas (dizem que a relação vai além da suplência), Lírio Parisoto e suas respectivas esposas.
Publicado em 15/08/2012
O gaúcho Lírio Parisotto (PMDB-AM)suplente do senador Eduardo Braga e dono da Videolar - Innova, e conselheiro da Siderurgica Usiminas, (o espancador da Luíza Brunet) dono da Videolar. Vive reclamando da crise, da invasão chinesa, da PEC da Música e, enfim, da pirataria que está acabando com a produção de CDs e DVDs.
Com essa conversa mole, vai ficando cada vez mais rico. Recentemente, Lírio – desdizendo o que propaga sobre o fracasso da produção de DVDs no Brasil, comprou a concorrente MICROSERVICE, que detinha menos de 5% da produção nacional.
Ato seguinte foi fazer a fusão da Videolar com a Microservice, criando uma terceira empresa já batizada de AMZ, que vai produzir um produto chamado Bopp (película de polipropileno biorientada ou filmes plásticos de embalagem). O investimento será de R$ 500 milhões, segundo Parisotto.
DESDE QUE A BRASKEM "DA PETROBRÁS" FORNEÇA A NAFTA, TUDO BEM!!!
https://www.youtube.com/watch?time_continue=13&v=HfNi2FkZwxQ
A aquisição da petroquímica Innova Poliestireno pela Videolar, aprovada na quarta-feira, 01/10/2014, pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), pode custar ao final da transação até R$ 1,27 bilhão ao controlador empresa?, o empresário Lirio Parisotto (PMDB-AM)!!!. 

Para o advogado de defesa da Videolar, Gesner de Oliveira, ex-presidente do Cade e da Sabesp, a fusão não geraria problemas para o mercado brasileiro de poliestireno devido à "formação de preço se dar na esfera internacional". Segundo ele, a união das empresas resultaria em sinergia de produção estimada em R$ 466 milhões. 01/10/2014 19h56 - ATUALIZADA EM: 06/11/2014 16h54 - POR ESTADÃO CONTEÚDO

O que eu não consigo entender é como um negócio “decadente” pode gerar tantos lucros e tantos investimentos. Com incentivos do BNDES, fundos de pensão, e da mãe, Petrobras "nafta".

Que tem boi na linha, tem!
Lírio Parisotto, Boni (à esquerda) e o ex-ministro Furlan em seu jato particular de 100 milhões de reais, tomando champagne de 1.000 reais. Foto: Simone Kafruni / Agencia RBS
A nova fábrica da Videolar, que agora vai se chamar AMZ, na Torquato Tapajós, um negócio de 500 milhões de reais que chama muita a atenção. 

a ampliação de uma petroquímica que é parte do grupo e produz resinas em Manaus. A unidade foi construída em 2002 para, inicialmente, fornecer plástico à Videolar e, eventualmente, vender o excedente a outras indústrias de eletrônicos da Amazônia. O negócio vai bem e, hoje, responde por um terço das receitas e quase todo o lucro da Videolar. "Essa será a nova cara da empresa. desde que,,, "a Braskem forneça a Nafta!".  O Bradesco se comprometeu  a doar mais de 10 milhões por ano até 2012. Agora, cabe ao presidente da fundação, o empresário e ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan(*), ampliar esse montante captando recursos na iniciativa privada. Revista EXAME, Edição 914 – Ano 42 – no 5 de 26-3-2008.

Notas: 
http://www.redetiradentes.com.br/ronaldotiradentes/a-curiosa-fusao-da-videolar-com-a-microservice/
http://p.download.uol.com.br/circuito/pdf_circuito/revista_circuito_41.pdf
Fundação Amazonas Sustentável, entidade sem fins lucrativos que tem por objetivo angariar fundos para financiar alguns dos projetos lançados pelo Governo do Estado, como o Bolsa Floresta. Os integrantes são:
Eduardo Braga – Governador do Amazonas; ( hoje, senador)
Luiz Fernando Furlan – Presidente da Fundação Amazonas Sustentável;
Márcio Cypriano – Presidente do Banco Bradesco;
Lírio Parisotto – Presidente do Conselho de Administração da Videolar;
Phelippe Daou – Diretor-presidente da Rede Amazônica de Radio e Televisão;
Flávia Grosso – Superintendente da Suframa;
Denis Minev – Secretário de Planejamento do Amazonas;
Adalberto Val – Diretor do INPA;
Carlos Nobre – Diretor do INPE;
Jaques Marcovich – Diretor da USP;
Manoel Cunha – Presidente do Conselho Nacional de Seringueiros;
Estevão Tucano – Dirigente da Coordenação das Organizações Indígenas do Amazonas, e
Mário Mantovani – Presidente do SOS Mata Atlântica.
http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Acao/noticia/2014/10/aquisicao-da-petroquimica-innova-pode-custar-ate-r-127-bilhao-videolar.html
(*)O empresário e ex-ministro Luiz Fernando Furlan
A grande jogada! a incorporação das  demais empresas pela JBS com verbas do BNDES.
BRF, a Brasil Foods, com a benção do presidente Lula, R$ 400 milhões do BNDES, favorecendo Luiz Fernando Furlan
A operação da BRF teve como único objetivo salvar a família de Luiz Fernando Furlan do fracasso. E o Cade proibiu a BRF de criar novas marcas para os mercados das quais foi retirada. Além disso, será preciso vender toda a cadeira produtiva e as marcas Rezende, Wilson, Confiança, Delicata, Doriana e Escolha Saudável. O objetivo é que o comprador entre imediatamente no mercado para concorrer com a BRF. A marca Batavo, uma das mais importantes do grupo, terá sua atuação restrita apenas aos produtos derivados do leite. Pelas contas feitas até agora para ficarem juntas, Sadia e Perdigão precisarão se desfazer de 10 fábricas, quatro abatedouros, 12 granjas, quatro fábricas de ração e oito centros de distribuição. Nenhum dos negócios pode ser readquirido em um prazo de 10 anos. Com tantos “nãos” à superfusão, apenas um sorriso permanecerá intacto. E QUEM ENTROU NO NEGÓCIO PARA ADQUIRIR TODAS AS MARCAS! A JBS-FRIBOI!  Dilma deve declarar porque liberou R$30 bilhões do BNDES para a FRIBOI!!!

Nenhum comentário: