domingo, 13 de março de 2016

Fazendas Sul do Pará: Duda Mendonça, Daniel Dantas, Carlos Rodemburg e o rei do Gado.

Juiz Sérgio Fernando Moro investigue por favor, fazendas  no Sul do Pará.

 

SERÁ MESMO?  MPF Socorro!!!

Dantas pode ter mais gado do que aponta investigação do MPF

Há mais gado nas fazendas ligadas ao banqueiro Daniel Dantas, do grupo Opportunity, do que acredita o Ministério Público Federal. É o que indicam documentos de vacinação de rebanho registrados na Agência de Desenvolvimento da Agropecuária do Pará (Adepará). Em 4 das 27 propriedades sequestradas pela Justiça Federal na semana passada, o número de cabeças de boi em 2008 era 27% superior ao que consta em registro feito pela Agropecuária Santa Bárbara Xinguara, controlada por Dantas. Os documentos, anexados ao relatório da Polícia Federal, serviram de base para o sequestro dos 453 mil bois pertencentes ao grupo. Para a PF e a Procuradoria, as fazendas e o gado foram negociados por Dantas nos últimos três anos para lavagem de dinheiro. http://www.gazetadopovo.com.br/vida-publica/dantas-pode-ter-mais-gado-do-que-aponta-investigacao-do-mpf-bqwdxcxkeswadw6wan1hd8j0u

A Fazenda Santa Bárbara de Daniel Dantas " E SÓCIOS"  quatro das 50 fazendas que compoem "o grupo" Santa Bárbara  no Pará, em 2008   510 mil hectares de suas fazendas , 450 mil cabeças de gado. O valor mínimo estimado desse plantel alcança R$ 2,7 bilhões e o máximo, R$ 4,5 bilhões. comportam ocupação por conflito agrário  foi denunciada por grilagem de terras públicas, citada também na Operação Sathiagraha, Dono do Banco Op­portunity e sócio de telefônica , e as relações com o filho do ex-presidente Lula da Silva, doou ao PT no dia 12/08/2014, R$ 1,1 milhão para custear campanhas eleitorais em SP RJ,PR MG,GO o maior valor foi para Padilha em SP,  por transferência eletrônica.  A empresa foi criada em 2005. O banqueiro também é investigado no desdobramento do mensalão, sob suspeita de irrigar o esquema. Segundo o diretor da  Editora Geração, Lulinha não é sócio do banqueiro em fazendas no Pará.

 

O tamanho do pasto dos bois de Daniel Dantas, com essas terras, supera em três vezes o tamanho da cidade de São Paulo

Dantas, aliás, é tão pródigo em fazer fortuna quanto provocar especulações acerca de seus poderosos sócios em terras paraenses.


Uma delas, por exemplo, aponta Fábio Luiz Lula da Silva, o 'Lulinha', de 30 anos, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como um dos grandes investidores na regiãoLulinha seria parceiro de Dantas. O filho de Lula, justiça seja feita, nem faz questão de manter o anonimato. Quem já o viu por Xinguara, Redenção e Marabá diz que o rapaz é freqüentador assíduo do Pará. Não para conhecer delícias como açaí, o tacacá ou o suco de bacuri, mas para fazer negócios. Lulinha transita com desenvoltura por feiras agropecuárias e leilões de gado e sempre é visto circulando de helicópteropelas fazendas da região.



NEGÓCIOS
Se Lulinha é mesmo parceiro de Dantas, de papel passado, ninguém aposta. De uma coisa, porém, não há quem duvide: os negócios do banqueiro, por aqui, vão indo muito bem, obrigado. Apesar da tormenta que ele está vivendo nos últimos dias, por ter sido preso duas vezes em menos de uma semana por decisão da Justiça Federal de São Paulo.

As terras compradas por Dantas são da melhor qualidade e valem o dinheiro desembolsado. A fazenda Cedro, de Benedito Mutran Filho, por exemplo, custou R$ 85 milhões. Ele também adquiriu a fazenda São Roque por R$ 144 milhões, além de outra propriedade, do pecuarista conhecido como Mazinho, em Redenção, por R$ 210 milhões. Oito fazendas na mesma região foram compradas por mais de R$ 100 milhões.

Um fazendeiro de Redenção contou ao repórter que Dantas pretende ampliar cada vez mais seus negócios, comprando quantas fazendas forem necessárias para abrigar, até 2010, mais de 1 milhão de cabeças de gado'Gosto de gente assim. Esse banqueiro é ousado no investimento. Ele compra o que aparece', observa, revelando que Duda Mendonça, ex-marqueteiro de Lula, também é outro próspero fazendeiro na região entre Redenção e Marabá.
Como funciona o esquema de compra de terras paraenses que transformou o banqueiro no 'rei do gado'? Pedindo sigilo, o fazendeiro adianta que um dos braços do esquema é Luís Pereira Martins, conhecido na região por 'Luís Pires', do grupo Umuarama, que controla suas fazendas. Temido por andar cercado de pistoleiros, o fazendeiro é velho conhecido da fiscalização do Ministério Trabalho, que o autuou três vezes pela prática de trabalho escravo de 381 homens.
'O João Cléber tem grande participação nisso. Sem ele o pessoal do Daniel Dantas não faz nada no Pará', garante um fazendeiro de Xinguara. João Cléber de Sousa Torres e seu irmão, Francisco de Sousa Torres, o 'Torrim', além de fazendeiros, são donos das madeireiras Impanguçu e Maginca. A dupla aparece num relatório de 2003 do Ministério Público Federal como mandante de crimes pela posse de terras públicas em São Félix do Xingu. Invasores que não pertencem ao esquema são expulsos a bala para que as áreas sejam vendidas e utilizadas na criação de gado.

As propriedades do banqueiro
São Roberto
Fica em Santa Maria das Barreiras. Ocorrência de trabalho escravo e libertação de trabalhadores. Pertencia ao madeireiro Antonio Lucena Barros, o 'Maranhense', de Redenção.
Espírito Santo
Fica entre Eldorado dos Carajás e Xinguara. Na área há 75 mil cabeças de gado.
Maria Bonita
Situa-se entre Eldorado dos Carajás e Xinguara
Fortaleza
Localizada entre Eldorado dos Carajás e Marabá
Castanhal
Localizada em Sapucaia. Pertencia ao fazendeiro João Cléber
São Roque
Situada em Xinguara, pertencia a 'Maranhense'. Preço: R$ 210 milhões.
Cedro
Situada em Marabá. Era propriedade do pecuarista Benedito Mutran Filho. Valor: R$ 85 milhões.
Outras oito fazendas, localizadas em São Félix do Xingu, foram negociadas pelo fazendeiro João Cléber, que foi dono da Flor da Mata, onde havia trabalho escravo e tráfico de drogas. Ele embolsou R$ 2 milhões quando a área foi desapropriada, em 1999, pelo governo federal. Um verdadeiro prêmio.

CARLOS MENDES
O Liberal - Belém – Pará


terça-feira, 15 de julho de 2008

A matéria está assinada pelo jornalista Carlos Mendes do Jornal O Liberal.

Av. 25 de Setembro, 2473 - Marco

Belém - Pará

CEP: 66093.000

Geral - (91) 3216-1000
Redação - (91) 3216-1138

O Jornal O Liberal pertence as Organizações Romulo Maiorana, proprietária também do Jornal Amazônia, da Fundação RM, da ORM Cabo, da Rádio Liberal e da TV Liberal, portanto não é um jornaleco qualquer.


No Pará nas regiões de Redenção , Marabá e Carajás, ELE comprou de Benedito Mutran Filho, herdeiro do conhecido Bené Mutran (homen forte da castanha) várias fazendas totalizando R$ 100.000.000,00 isso mesmo. Cem milhões de reais.

Sócios no negócio:
Duda Mendonça e Daniel Dantas.



Como Sempre o Blog foi checar as informações, em busca da verdade e encontramos essa reportagem da revista Dinheiro Rural 

Mas os "causos" rurais do filho do presidente da República não se limitam às terras dos Prata Cunha. Ele também ganhou fama em outros Estados da Federação, como no Pará. Em outra mensagem, um pouco mais recente, circula a "revelação" de que Lulinha estaria prestes a se tornar um novo "rei do gado". Para tanto, ele teria comprado duas propriedades nas cidades de Marabá e Xinguara, ambas do megapecuarista Benedito Mutran, dono de um dos maiores rebanhos comerciais do Brasil. O que ele diz a respeito? "Tudo bobagem, nunca houve essa operação", diz Mutran.
Em 2007, de fato, o megapecuarista Benedito Mutran vendeu algumas de suas terras para a Fazenda Santa Bárbara, do empresário Carlos Rodemburg, Rodemburg só viaja no jato da Brasil Telecom e é dono de algumas das vacas de raça mais caras do Brasil;(sócio, ex-cunhado e braço direito de Daniel Dantas, o banqueiro Carlos Rodemburg, foi filmado pela PF freqüentando o escritório de investigação de Avner, a operação de busca e apreensão pode trazer mais provas sobre as espionagens ilegais de Dantas no Brasil).  As vendas aconteceram, só que o comprador era outro. E com verdades misturadas a meias-mentiras, a equipe de DINHEIRO RURAL, de passagem pela ExpoGrande, maior mostra pecuária de Mato Grosso do Sul, se deparou com o novo boato. Entre amigos, um pecuarista de nome Augusto Araújo Oliveira tentava se livrar das gozações dos amigos. O motivo? Uma suposta venda de bois para o filho do presidente. Indagado pela reportagem, ele disse, lacônico: "Não sei de nada, não sei de nada", desconversou, e foi embora. Verdade? Mentira? Não se sabe, mas com certeza vem aí um novo boato rural.

O filho do Lula é o empresário mais bem sucedido da história

No Pará nas regiões de Redenção, Marabá e Carajás, ele comprou de Benedito Mutran Filho, herdeiro do conhecido Bené Mutran (homem forte da castanha) várias fazendas totalizando R$ 100.000.000,00 isso mesmo. Cem milhões de reais. Sócios no negócio: Duda Mendonça e Daniel Dantas. Esse mês, Lulinha comprou um Gulfstream GIII e dos mais modernos aviões executivos do mundo por R$ 100.000.000,00 (cem milhões de reais).


O Juiz Fausto de Sanctis de SP tem registrado oficialmente todo o patrimônio de Daniel Dantas no Brasil e no exterior; quando o banqueiro foi preso por crime de colarinho branco.  O delegado "do povo"  da PF que sabia tudo, infelizmente, mostrou que não era do povo quando se filiou ao PCdoB aliado a Lula que encobria e encobre as negociatas do seu filho com o então banqueiro preso, Daniel Dantas!!!


Nenhum comentário: