quarta-feira, 4 de junho de 2014

AUDIÊNCIA PÚBLICA CONVENÇÃO 169-OIT - CÂMARA DOS DEPUTADOS 03/06/2014 PURA BABOSEIRA!

AUDIÊNCIA PÚBLICA CONVENÇÃO 169-OIT - PURA BABOSEIRA!
De:
andrea tarsia duarte <andreatarsiaduarte@>
Para: hoo.com.br>, "
Data:hoje 11:27

Amigos, 
consegui, finalmente, atingir um nível de indignação que não me julgava capaz.
Leiam o relato abaixo, que fiz sem muita emoção, procurando ser fidedigna com os fatos que presenciei
na data de ontem, 03/06/14, na Câmara Federal. Além de terem acabado com o Brasil, não se preocupam
mais em disfarçar, sequer, a falta de respeito pelos brasileiros que pagam os salários desses pulhas que 
chamamos de deputados, "autoridades" e senadores.

Há cerca de dois meses, aproximadamente, começou a circular pelas redes sociais a informação de que a Amazônia estava para ser dividida em 216 nações indígenas, por força da Convenção 169-OIT, ratificada, a última vez, pelo Presidente Lula em 2003. Segundo esta informação, o Brasil teria prazo até 24/07/14 para REJEITAR a aplicação da Convenção Internacional em nosso território.
Quando vi esta preocupação invadir minha caixa de e-mails inúmeras vezes, vindas dos diversos cantos do País, lembrei-me de uma discussão antiga que remontava à época do Presidente Sarney, exatamente sobre a questão da demarcação das áreas indígenas.
Pesquisei aqui, me informei ali, consultei algumas pessoas com boa memória e conhecimento do assunto e de política em geral e, nesse ínterim, descobri que uma Audiência Pública estava marcada para o dia 03/06/14, no plenário 6 do anexo II da Câmara dos Deputados, para "Debater sobre a revogação do Brasil à subscrição da Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT)", requisitada pelo Deputado Paulo Cesar Quartiero (DEM/RR), com a presença dos seguintes debatedores: CELSO LUIZ NUNES AMORIM - Ministro de Estado da Defesa - MD; LUIZ ALBERTO FIGUEIREDO MACHADO - Ministro de Estado das Relações Exteriores - MRE; General MAYNARD MARQUES DE SANTA ROSA - Oficial da Reserva das Forças Armadas; LORENZO CARRASCO - Jornalista e Escritor; e EDWARD MANTOANELLI LUZ - Antropólogo.
Divulguei a todos os Aflitos Brasileiros que me aviam mandado os e-mails a famigerada “Audiência Pública” e ontem, data marcada, larguei todos os meus afazeres (que não são poucos) e, após 20 (vinte) anos sem pisar no Congresso Nacional, tomei um omeprazol, uma dose de dipirona e me preparei psicologicamente para comparecer àquele ato que, antecipadamente sabia não significar absolutamente nada.
O que eu não sabia era que a tal “Audiência Pública” aconteceria “em particular”!
Fui a primeira a chegar, por volta de 13h30, juntamente com um amigo Economista que me acompanhava, escolhendo o lugar estrategicamente no plenário 6. A partir das 14h começaram a chegar pessoas que não pareciam ter algo a ver com o assunto, até que, por volta de 14h15 fomos abordados por uma Senhora muito distinta que nos perguntou a que segmento organizado pertencíamos, relativamente ao assunto “segurança pública” e “greve da PM”. Informamos que estávamos ali para assistir à Audiência que envolvia a questão da Convenção 169-OIT e surpresos descobrimos que não seria ali o local onde a mesma ocorreria. Após muitas perguntas, fomos orientados a nos dirigir à sala 38, pertencente à Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, onde fomos recebidos pela Secretária, que nos comunicou que a “nossa” Audiência “estava sem plenário” e que teríamos que aguardar um espaço a ser designado. Às 14h30 aproximadamente, com uma multidão de pessoas se amontoando em um espaço de 16m2, brigando para acessar as maravilhosas máquinas importadas de café, água e suco de soja que borbulhava em uma refresqueira, fomos chamados para ocupar uma sala contígua, bem menor (4m X 2,5m), com uma mesa de reuniões que a ocupava praticamente inteira e algumas cadeiras.  Após todos os interessados estarem acomodados nas cadeiras laterais e em pé, se espremendo nos cantos, aguardando os debatedores se sentarem à mesa de reuniões, fomos interpelados por um funcionário da casa, pouco gentil, que solicitou que todos saíssem, pois ali só ficariam os “convidados”, uma vez que não havia espaço para todos. Educadamente, dirigimo-nos – todos que já estavam acomodados – à sala do café e aguardamos.
Aproveitei para saber quem eram as pessoas que ali estavam e, em uma das conversas me foi perguntado a qual “facção” pertencia: se à indigenista ou à ruralista! Respondi, incontinenti: à facção brasileira! Sem entender muito bem a pergunta, pude ter dois segundos de raciocínio lógico e perceber que aquela audiência havia sido convocada pela Comissão de Agricultura do Congresso e que aquela discussão referia-se exatamente àquilo: índios X ruralistas!
Que vergonha!!!! O que é que eu estava fazendo ali???
Não estávamos ali para debater sobre a soberania brasileira, nem sobre a defesa do território nacional! Estávamos ali para que uns poucos decidissem se as terras deveriam ser exploradas por indígenas ou por particulares plantadores de soja e criadores de bois! – as duas misérias brasileiras, que detonam a nossa terra produtiva!
O mais estranho é que no meio da “pseudo plateia” só identifiquei representantes da Procuradoria da República (pelo menos uns 10), jornalistas (mais uns 10), representantes de Organismos Estrangeiros (inúmeros), dispostos a defender a causa das minorias (índios, negros, ciganos, etc), de tudo um pouco, com o discurso (todos eles) de que revogar a Convenção 169-OIT seria um retrocesso na história do Brasil.
A Audiência que era “pública”, só não foi totalmente privada, porque não conseguiram fechar a porta da tal mínima sala, uma vez que as pessoas se amontoavam ali para tentar ouvir alguma coisa, sem sucesso. Foi-nos recomendado que acompanhássemos o que ali ocorria pela Internet!, já que estava sendo gravada a sessão, através de um microfone que não emitia som para os que estavam ao lado de fora.
CONCLUSÃO: uma questão de nível nacional, que envolve a possibilidade de etnias indígenas, manipuladas pelos “funaístas” de plantão, pelas ONGs, pelos Órgãos oficiais de governos estrangeiros e, principalmente pela CMI – Conselho Mundial de Igrejas, entregarem nossas riquezas naturais aos estrangeiros, está sendo debatida, apenas, pelos ruralistas, cujo único objetivo é “puxar a sardinha para o seu lado”.
Compatriotas!!!!! A coisa é muito mais séria do que se imagina: os Países do hemisfério norte estão com os pés, os corpos e as mãos dentro das nossas terras produtivas, ricas em minerais e recursos naturais. O ministério Público Federal está apoiando este absurdo?! Na verdade, não conseguimos descobrir se o apoio do MPF é exclusivamente à questão indigenista, contra os ruralistas, ou se o problema é maior do que isso. Os representantes brasileiros de organismos internacionais (aqueles com quem conversei), pessoas totalmente despreparadas, com um discurso pronto (além do qual não conseguem argumentar), sem qualquer noção de legislação pátria, de soberania nacional, de brasilidade, parecem ter sofrido verdadeiras “lavagens cerebrais”.
Por trás de tudo isso, o tal CMI – Conselho Mundial de Igrejas, sediado em Genebra, que não tem qualquer vínculo com organismos religiosos, ao contrário do que o nome diz, mas que está inserido nos principais governos de 1º mundo, através de cargos de 1º escalão, com tentáculos em todas as ONGs e fundações estrangeiras de grande e médio porte, cuja único escopo é manipular as questões ambientais e indígenas de países de 3º mundo, com o intuito de controlar os recursos naturais desses países e impedir o seu desenvolvimento, para a manutenção do estado de miséria e deseducação de seu povo, o que muito lhes interessa.
E então, temos de outro lado, um Brasil desgovernado, com políticos corruptos preocupados em encher suas contas bancárias numeradas no exterior, pouco se importando com o nosso Brasil varonil, que continua descansando em berço esplêndido, ou seja, dormindo profundamente, enquanto permanece sendo espoliado pelas forças internas e externas.
ACORDA BRASIL! ACORDA ANTES QUE NÃO SOBRE NADA E AÍ SÓ VALHA A PENA REALMENTE DORMIR PARA ESQUECER QUE VOCÊ, BRASILEIRO, NÃO FEZ ABSOLUTAMENTE NADA PELO SEU PAÍS!
Andréa Társia Duarte (Advogada e brasileira que AINDA acredita na força do povo contra os sem caráter, sem brasilidade, sem vergonha, sem amor e sem coragem de mudar a cara do País - andreatarsiaduarte@yahoo.com.br).
 https://www.youtube.com/watch?v=VWXTEa4pcLg

Um comentário:

Julio Neto disse...

Andréa, parabéns por sua iniciativa. Infelizmente estão faltando mais pessoas de seu nível no Brasil, e ao menos uma das causa é muito clara, visto que a esquerda tomou conta da política nacional (via revolução gramscista) e, nas últimas décadas, vem destruindo a mente e a própria alma de muitos das novas gerações... Mas, ainda assim, continuo otimista em relação ao futuro do Brasil. Acredito que encontraremos um caminho ou seremos merecedores de uma boa solução, o que torna imprescindível a persistência e o trabalho da minoria dos bons...

Compreendo que a atitude deve estar junto com orações, e devemos clamar por uma intervenção das forças armadas ou por alguma forma de providência divina, que talvez venha como inspiração nas muitas decisões que teremos pela frente.

Em minha visão, PRECISAMOS USAR A COPA DO MUNDO CONTRA OS TRAIDORES DO BRASIL - VAMOS APOIAR A PM CONTRA OS BADERNEIROS DE CHAPA BRANCA (Black Blocs e outros idiotas úteis) que estão apenas desviando a atenção do povo para questões menores e genéricas.

A COPA É O MELHOR PALCO PARA PROTESTAR CONTRA A OIT 169 - CONTRA o PT e CONTRA O SOCIALISMO/ COMUNISMO QUE ESTÁ AFUNDANDO O BRASIL –

Enfrentamos ainda a questão das urnas eletrônicas de 1ª geração, que provavelmente irão favorecer (...) a ‘presidenta’ e, então, se torna importantíssimo deixar evidente a decisão das ruas, pois sabemos que ninguém aguenta mais o PT, no entanto esta decisão precisa ficar ainda mais clara, incontestável, o que pode acontecer através de manifestações pacíficas e pesquisas independentes, de modo que se torne inviável a fraude nas urnas...

Lembrando que para a presidência da república a nossa melhor opção NÃO socialista é BOLSONARO, mas também temos DENISE ABREU e PASTOR EVERALDO (Aécio Neves é um meio termo, que talvez seja necessário...), mas o que não podemos permitir é a intensificação do socialismo, seja pela reeleição (fraudulenta) de Dilma ou Eduardo Campos e Marina.