quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Nazipetralhas lançam ameaça contra Joaquim Barbosa e vomitam manifesto cínico contra o Judiciário

Não há dúvidas de que o espectro do nazipetralhismo não só ronda, mas já toma conta do poder político no Brasil. O que está ruim politica e democraticamente tem tudo para ficar ainda pior. A massa já demonstrou que está politicamente alinhada com os ilusionistas nazipetralhas. E como o Brasil não demonstra ter Povo, mas apenas massa ignorante para ser facilmente influenciada e manipulada, em breve teremos consolidada uma “Democradura”.

Em resumo: Joaquim Barbosa, futuro presidente do Supremo Tribunal Federal e relator do processo do Mensalão – que se cuide. A nazipetralhada ameaça enfraquecer sua coluna (já debilitada no sentido denotativo da palavra). A Presidenta Dilma também deve se cuidar. A companheirada achou estranho que, depois da reunião de manhã cedo com ela, na segunda-feira, o Joaquim Barbosa tenha feito a mudança surpresa na ordem de votação da Ação Penal para antecipar a condenação de Dirceu... Conspiradores nazipetralhas acham que tem dedinhos da Dilma contra o Bem Amado Zé...

E os segmentos esclarecidos da sociedade, que ainda conseguem ter como criticar os nazipetralhas, que se cuidem também. O Reich nazipetralha foi proclamado ontem, na véspera da celebração da Proclamação da República, em cinco folhinhas de papel nada higiênico para o regime democrático.

Enquanto isso, o Capimunismo tupiniquim avança, sob a gestão do Governo do Crime Organizado e com as bençãos da Oligarquia Financeira Transnacional que há seculos nos controla - porque nós deixamos...
Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net 

Dilma avisa que "não é palhaça" e condena PT por divulgar, sem consultá-la, manifesto radical contra STF

Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net 

Exclusivo – Eu não sou palhaça! Eu não sou palhaça!”. Esta foi a reação irada da Presidenta Dilma Rousseff, quarta-feia à noite 14/11, ao ver no Jornal Nacional a pancada editorial dada pela Rede Globo no manifesto “O PT e o julgamento da Ação Penal 470”. A raiva de Dilma, alegando que não era palhaça, foi verbalizada ao presidente do PT, Rui Falcão. Ela se sentiu traída pela Executiva Nacional (Socialista) do PT porque não foi informada do teor da nota partidária antes de sua divulgação. Dilma só soube pela imprensa, e odiou o conteúdo.

Dilma fez reclamação parecida contra os dirigentes petistas em ligação ao ex-presidente Lula da Silva. Além de Falcão, quem também teria tomado uma bronca até mais incisiva de Dilma foi o ex-Secretário de Comunicação da Presidência, na gestão Lula. O jornalista e hoje consultor Franklin Martins teria sido um dos principais autores do manifesto petista contra o Supremo Tribunal Federal.

A divulgação do manifesto sem Dilma saber antes do teor é apenas mais um capitulo da guerra surda entra dirigentes petistas e a Presidenta. A militância comandada por José Dirceu não se relaciona bem com Dilma – e vice-versa. A petralhada não gosta da independência da sucessora de Lula em relação a eles. Inclusive, temem que Dilma aproveite as condenações no processo do Mensalão como desculpa para se descolar das lideranças petistas e do próprio partido. Nos bastidores de intrigas, uns até apostam que Dilma, na hora que for conveniente para ela, sai do PT e se filia ao PDT e ao PMDB. Aliás, o ex-marido dela, Carlos Araújo, já está voltando para o partido do falecido Brizola, depois da vitória pedetista para a Prefeitura de Porto Alegre.

As cinco páginas do manifesto “O PT e o julgamento da Ação Penal 470” são uma declaração de guerra institucional. Basta uma leitura objetiva das radicais críticas da nazipetralhada para constatar como se manifesta o cinismo democrático da Executiva Nacional (Socialista) do PT. Selecionamos alguns trechos do manifesto como resumo do autoritário pensamento do Partido dos Trabalhadores:

“O STF deu estatuto legal a uma teoria nascida na Alemanha nazista, em 1939, atualizada em 1963 em plena Guerra Fria e considerada superada por diversos juristas. 
“Embora realizado nos marcos do Estado Democrático de Direito sob o qual vivemos, o julgamento, nitidamente político, desrespeitou garantias constitucionais para retratar processos de corrupção à revelia de provas, condenar os réus e tentar criminalizar o PT”.

“O PT envidará todos os esforços para que a partidarização do Judiciário, evidente no julgamento da Ação Penal 470, seja contida. Erros e ilegalidades que tenham sido cometidos por filiados do partido no âmbito de um sistema eleitoral inconsistente - que o PT luta para transformar através do projeto de reforma política em tramitação no Congresso Nacional - não justificam que o poder político da toga suplante a força da lei e dos poderes que emanam do povo”.

Assinaram o manifesto:


RUI FALCÃO – Presidente

ANDRÉ LUIZ VARGAS ILÁRIO - Secretário Nacional de Comunicação

ARLETE SAMPAIO- Vogal

BENEDITA DA SILVA – Vogal

CARLOS HENRIQUE ÁRABE - Secretário Nacional de Formação Política

ELÓI PIETÁ- Secretário-Geral Nacional

FÁTIMA CLEIDE RODRIGUES DA SILVA – Vogal

IOLE ILÍADA- Secretária Nacional de Relações Internacionais

JILMAR AGUSTINHO TATTO - Líder do PT na Câmara dos Deputados

JOÃO VACCARI NETO- Secretário Nacional de Finanças e Planejamento

JORGE LUIZ CABRAL COELHO - Secretário Nacional de Mobilização 


JOSÉ NOBRE GUIMARÃES - Vice-Presidente Nacional

MARIA APARECIDA DE JESUS – Vogal

MARIA DE FÁTIMA BEZERRA - Vice-Presidente Nacional

MARIA DO CARMO LARA PERPÉTUO – Vogal

MARIENE PANTOJA DE LIMA – Vogal

PAULO FRATESCHI - Secretário Nacional de Organização

RENATO SIMÕES- Secretário Nacional de Movimentos Populares

VILSON AUGUSTO DE OLIVEIRA - Secretário Nacional de Assuntos Institucionais

WALTER DE FREITAS PINHEIRO - Líder do PT no Senado Federal

Nenhum comentário: